Notícias

Região Sul é destaque entre os vencedores do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura

A região Sul foi superpremiada na quinta edição do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável, uma das mais importantes do país no reconhecimento de projetos que se destacam nos quesitos conforto, inovação e sustentabilidade. Oito prêmios vieram para a região, em diferentes categorias, incluindo o de Melhor Projeto da Edição, para o ‘Moradias Infantis – Fundação Bradesco’ desenvolvido pelo escritório curitibano Aleph Zero em parceria com a Rosenbaum Projetos.

Os vencedores foram anunciados no dia 15 de março,  em evento para convidados na Casa Bossa, em São Paulo (SP). Foram entregues 25 prêmios, entre as categorias “Profissional” e “Estudante”, além dos destaques em “Conforto”, “Inovação” e “Sustentabilidade”.

Os projetos premiados desenvolvidos por escritórios de Arquitetura da região Sul são:

  • Moradias Infantis – Fundação Bradesco‘, da Aleph Zero, de Curitiba (PR), em parceria com Rosenbaum Projetos – primeiro lugar na categoria Edificação Institucional e Melhor Projeto da Edição; (clique aqui e saiba mais sobre o projeto)
  • Complexo Fabril para Multinacional do Setor de Óleo e Gás‘, da Casacinco Arquitetos Associados, de Curitiba (PR) – segundo lugar na categoria Edificação Comercial;
  • Residência HLC‘, da Elmor Arquitetura, de Curitiba (PR) – segundo lugar na categoria Edificação Residencial;
  • Casa Estúdio‘, da Cuboverde Arquitetura Sustentável, de Porto Alegre (RS) – terceiro lugar na categoria Edificação Residencial;
  • Estação Antártica Comandante Ferraz‘, da Estúdio 41 Arquitetura, de Curitiba (PR) – primeiro lugar na categoria Projeto Institucional e Destaque em Sustentabilidade;
  • Casa dos Raros‘, da BUILT Arquitetura e Urbanismo, de Porto Alegre (RS) – terceiro lugar na categoria Projeto Institucional;
  • Le Dune‘, da Torres & Bello Arquitetos, de Porto Alegre (RS) – segundo lugar na categoria Projeto Residencial;

Conheça todos os projetos premiados:

CATEGORIA PROFISSIONAL – EDIFICAÇÃO INSTITUCIONAL

 1º LUGAR – MORADAS INFANTIS – FUNDAÇÃO BRADESCO

Escritório: Rosenbaum Projetos + Aleph Zero

Autora Responsável: Adriana Benguela

Equipe: Gustavo Utrabo (Aleph Zero), Pedro Lass Duschenes (Aleph Zero) e Marcelo Rosenbaum (Rosenbaum Projetos)

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: As novas moradas para as crianças da escola em regime de internato da Fundação Bradesco na fazenda de Canuanã – Formoso do Araguaia – Tocantins, se organizam em duas vilas, uma masculina e outra feminina. Esta separação já ocorria nas moradias existentes, porém neste novo momento as moradias não mais serão conformadas por grandes espaços dormitórios, mas sim por 45 unidades de 6 alunos cada. Contínuo aos dormitórios estão os mais distintos espaços de convívio como sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios, redários entre outros. Todos estes novos programas complementares as moradas foram idealizados conjuntamente com os alunos no intuito de melhorar a qualidade de vida e refinar o laço entre alunos e escola. Desta maneira, além de abrigar um maior número de crianças, as novas vilas pretendem aumentar a autoestima das crianças através da utilização de técnicas locais, criando uma ponte entre as técnicas vernaculares e um novo modelo de habitação sustentável.

 

2º LUGAR – ARENA DA JUVENTUDE

Escritório: Héctor Vigliecca e Associados

Autor Responsável: Héctor Ernesto Vigliecca Gani

Equipe: Luciene Quel e Ronald Werner Fiedler

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: O projeto busca oferecer a solução para um dos grandes desafios dos Jogos Olímpicos da atualidade: como extrair o máximo de um evento de grande magnitude, como uma Olimpíada, revertendo-o em legado econômico e efetivo para a comunidade. Para isso, o projeto inverte a noção comum de se adaptar um equipamento olímpico para legado. O foco é o legado e isto por si só se torna um grande desafio, já que a Olimpíada exige níveis de equipamentos e complexidade que são antagônicos à manutenção simples e econômica. Piso do espaço de eventos monolítico de concreto concebido para cargas variáveis, arquibancadas modulares tubulares para incremento de público, sistema de ar condicionado externo tipo rooftop para fácil montagem e desmontagem, sistema de membranas para estanqueidade.

3º LUGAR – AEROPORTO INTERNACIONAL DE BELO HORIZONTE

Escritório: Bacco Arquitetos Associados

Autor Responsável: Marcelo Consiglio Barbosa

Equipe: Julio Cesar Corbucci

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: O projeto do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte consiste na reforma do terminal existente (TPS1) em conjunto com a construção de um novo terminal (TPS2). O projeto de reforma propõe a relocação das áreas comerciais para o lado ar, além da renovação do prédio para adequação às novas normas de segurança. O projeto original, do arquiteto Milton Ramos, é um legado para arquitetura brasileira, o qual a reforma tenta ao máximo conservar enquanto o adapta às novas necessidades. O conceito para a implantação do novo terminal foi explorar o pátio de manobras existente inclinando o terminal de forma a garantir a circulação das aeronaves e expandir as futuras áreas de exploração comercial do lado ar. Essa solução criou um píer diagonal que minimizou as interferências no sistema viárias, evitando estruturas adicionais desnecessárias.

CATEGORIA PROFISSIONAL – EDIFICAÇÃO COMERCIAL

 

1º LUGAR – NASP – NOVA SEDE ADMINISTRATIVA

Escritório: Dal Pian Arquitetos

Autor Responsável: Renato Dal Pian

Equipe: Lilian Dal Pian

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: Com capacidade para abrigar 1800 colaboradores, a Nova Sede Administrativa da Natura São Paulo – NASP – se localiza às margens da Rodovia Anhanguera, a um quilômetro da Marginal Tietê. Em terreno urbano, de topografia variada e áreas densamente vegetadas, o edifício procura se harmonizar funcional e volumetricamente com o Centro de Distribuição existente. Sua implantação criteriosa respeita a geografia e a topografia do lugar, proporcionando a interação seus espaços com a paisagem natural do entorno. O programa se distribui em um edifício, longitudinal e paralelo à face leste do Centro de Distribuição.  Pensado como uma “Torre Horizontal”, concentra, integra e aproxima suas diversas atividades. Reforçando seu caráter gregário, um grande vazio central –“Vazio Integrador”- com jardins escalonados, percorre internamente todos os seus pavimentos. Como acesso principal, uma “Passarela de Recebimento”, suspensa e lançada sobre a vegetação e os taludes existentes, absorve os fluxos de pedestres.

2º LUGAR – COMPLEXO FABRIL PARA MULTINACIONAL DO SETOR DE ÓLEO E GÁS

Escritório: Casacinco Arquitetos Associados

Autor Responsável: Boris Madsen Cunha

Equipe: Jussara Rezende Specian, Ricardo Alberti, Rogerio Shibata e Rosiana Ruda Sant’ana

Cidade: Curitiba/PR

Descrição do Projeto: Este complexo fabril nasceu da necessidade do cliente de modernizar e duplicar sua capacidade de produção anteriormente instalada em Curitiba. O complexo é composto por um site industrial de cerca de 42.000 m2 de área construída, separados em diversos edifícios fabris, e uma área corporativa de aproximadamente 11.000 m2 construídos. Os edifícios fabris, abrigam diversas instalações de alta tecnologia, para produção e teste de componentes submarinos de exploração de óleo e gás. O edifício corporativo, acomoda todos os setores administrativos da empresa. É composto por apenas 3 pavimentos, organizados ao redor de um átrio central coberto de cerca de 25 x 30 m de vão. Os dois pavimentos superiores são destinados a escritórios e áreas coletivas de trabalho, sendo que o térreo forma um grande ambiente de acesso e convívio, com lounges, refeitórios e áreas comuns, de uso de todos os funcionários do complexo.

3º LUGAR – CENTRO DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO RICHARD J. & MAUREEN E. EGAN

Escritório: Archi-Musa Arquiteto

Autor Responsável: Paulo Musa

Cidade: Rio de Janeiro/RJ

Descrição do Projeto: Trata-se do primeiro Centro de Pesquisa & Desenvolvimento dedicado a “Big Data” na América do Sul. O prédio situado no parque tecnológico da UFRJ tem três funções; 1-Atendimento a Clientes para entendimento e formulação dos serviços a serem desenvolvidos.2-Escritórios para Analistas de Sistemas e Engenheiros de software. 3-Espaço para armazenamento físico de “Big Data”. A EMC sendo uma das 500 maiores empresas globais segundo a Fortune, construiu um prédio dentro dos padrões de conforto que utiliza mundialmente. foi um pré-requisito de projeto a Cerificação Leed Gold do U.S. Green Building Council. A proposta incorpora aspectos desenvolvidos na prática de Edificações de alto nível e busca uma linguagem moderna que segue uma tradição da arquitetura carioca. O prédio é rigorosamente modulado na malha 1,25×1,25m sobre Pilotis com Lajes de 900,00m2 e “Core Central” resultando em um grande perímetro envidraçado e grande conforto psicológico e facilidade de reconfigurações de layout.

 CATEGORIA PROFISSIONAL – EDIFICAÇÃO RESIDENCIAL

 1º LUGAR – RESIDÊNCIA KS

Escritório: Arquitetos Associados

Autor Responsável: Alexandre Brasil Garcia

Equipe: Paula Zasnicoff Duarte Cardoso da Silva

Cidade: Belo Horizonte/MG

Descrição do Projeto: O desejo por privacidade e a consideração das condicionantes ambientais de Natal-RN, quente, úmida e com ventos constantes, orientaram o projeto desta residência, fechada para fora, mas aberta para um grande vazio interno de três pavimentos pelos quais a luz do sol e o vento local circulam livremente. A escolha dos materiais teve como critério a facilidade de execução e adequação para cada tipo de uso: muro de arrimo no subsolo e estrutura principal em concreto armado, cobertura em telhas metálicas termoacústicas e vedações externas alvenaria de blocos cerâmicos maciços e vidros transparentes. O desenho do tijolo como elemento vazado conformam muxarabis capazes de filtrar a luz sol e deixar o vento circular. Na parte superior das fachadas mais extensas criou-se, ainda, uma faixa de circulação de ar permanente e janelas junto ao chão, proporcionando o efeito chaminé. O resultado é um lar com grande variedade de pés-direitos pelos quais o abundante vento local circula livremente.

2º LUGAR – RESIDÊNCIA HLC

Escritório: Elmor Arquitetura Eireli

Autor Responsável: Jorge Elmor Neto

Equipe: Eduardo Straub (Straub Junqueira), Henrique Elias Cury (Ecoquest), Henrique Machado de Mendonça (Etool Global) e Kika Camasmie.

Cidade: Curitiba/PR

Descrição do Projeto: O comprometimento em ter como resultado uma edificação que proporcionasse qualidade de vida aos usuários e contribuísse com a cidade através de diretrizes sustentáveis deu-se desde a escolha do melhor terreno. Os proprietários do imóvel precisam se deslocar menos de 500 metros até o trabalho, percurso que fazem à pé. As pequenas dimensões do lote exigiam uma residência compacta e eficiente. Com os quartos orientados à noroeste, a “Casa Jardim” está solta no terreno, com pátios em ambos os lados. Quando as grandes portas de correr são recolhidas, a área social se integra com as áreas externas e dobra de tamanho. O cuidado com o conforto ambiental na residência e a preocupação com a demanda por mais recursos, com a reciclagem e descarte apropriado dos resíduos, bem como com a preservação do meio ambiente se refletem nesta edificação através dos mais diversos conceitos e tecnologias empregados ao longo do processo.

3º LUGAR – CASA ESTÚDIO

Escritório: Cuboverde Arquitetura Sustentável

Autora Responsável: Ingrid Louise de Souza Dahm

Equipe: Albert Koelln e Greice Lorscheiter Machado.

Cidade: São Leopoldo/RS

 

Descrição do Projeto: Reforma sustentável de uma antiga edificação datada de 1930, para o casal de artistas- ele músico e ela historicista da arte- unirem moradia e trabalho, permitindo um novo estilo de vida onde pudessem conviver em um espaço ambientalmente responsável. Os clientes, necessitavam de ambientes iluminados e ventilados, assim como maior integração dos espaços. No entanto, era preciso atentar para a privacidade do casal, já que receberiam dezenas de alunos diariamente. Sendo assim, a reforma contou com abertura de zenital, alteração da escada, integração de espaços e utilização de diversas estratégias para valorizar o que a casa oferecia, buscando respeitar a arquitetura existente, porém explorando as novas tecnologias. Além disso, foi feita uma edificação com construção seca com tratamento acústico para servir de estúdio de música e gravações.

CATEGORIA PROFISSIONAL – PROJETO INSTITUCIONAL

 1º LUGAR – ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ

Escritório: Estúdio 41 Arquitetura

Autor Responsável: Eron Costin

Equipe: Dario Corrêa Durce, Emerson Vidigal, Fabio Henrique Faria, João Gabriel Rosa e Martin Kaufer Goic.

Cidade: Curitiba/PR

Descrição do Projeto: Estação Brasileira de pesquisa científica na Antártica. Edifício composto de laboratórios, oficinas, acomodações, áreas técnicas e de suporte ao trabalho das equipes de cientistas e militares da Marinha do Brasil que realizam os trabalhos ao longo do verão antártico.

2º LUGAR – CASA FIRJAN

Escritório: Atelier 77 Projetos

Autora Responsável: Priscila Marinho

Equipe: André Lompreta, Nanda Eskes e Thorsten Nolte.

Cidade: Rio de Janeiro/RJ

Descrição do Projeto: A Casa Firjan é uma plataforma para as indústrias criativas, com atividades de ensino, cultura e desenvolvimento empresarial. Implantado no terreno do histórico Palacete Linneu de Paula Machado, consiste na ocupação de 3 edificações, duas históricas e uma nova, cuja implantação gera um diálogo instigante com as edificações existentes. O edifício novo foi implantado com intuito de preservar as árvores de grande porte do terreno e gerar uma praça interna que forma um local de convívio e encontro. O edifício funciona como uma vitrine das atividades da indústria criativa. As fachadas marcadas por sua transparência permitem visibilidade do interior dos espaços. A arquitetura do edifício é voltada para eficiência energética, sistemas passivos e ativos, contendo sombreamento das fachadas em brises motorizados, co-geração de energia solar e aproveitamento de águas pluviais e cinzas. Os jardins com sua arborização centenária garantem um micro-clima favorável no intenso bairro de Botafogo.

3º LUGAR – CASA DOS RAROS

Autor Responsável: Bruno Giugliani (BUILT Arquitetuara e Urbanismo)

Equipe: Joana Giugliani, Pedro Terra Oliveira e Karen Bammann

Cidade: Porto Alegre/RS

Descrição do Projeto: O projeto prevê a construção de um centro de atenção integral a pessoas com doenças raras. Está implantado em um terreno plano, de pequenas proporções, em Porto Alegre. A edificação abriga um programa de uso misto, incluindo zonas de assistência médica para pacientes, áreas de convívio social, suítes para hospedagem de professores pesquisadores, espaço corporativo para a sede do instituto, e garagens. O projeto pode ser definido formalmente como dois prismas de base retangular, afastados 4m entre si, e apoiados sobre uma base comum. O bloco anterior, junto a via pública, abriga as áreas sociais e institucionais do conjunto, enquanto no bloco posterior estão concentradas as atividades de assistência médica ofertadas. A estrutura em concreto armado permite maior flexibilidade de usos através de plantas livre em todos os pavimentos. O projeto predente alcançar a certificação ambiental máxima (leed), garantindo eficiência energética e a otimização na extração e consumo de recurso naturais.

CATEGORIA PROFISSIONAL – PROJETO COMERCIAL

 1º LUGAR – AMATA

Escritório: Triptyque Architecture

Autora Responsável: Carolina Bueno

Equipe: Pedro Sávio Jobim Pinheiro

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: Conhecida como a capital de concreto e aço, a cidade de São Paulo ganhará em breve um edifício totalmente construído em madeira 100% certificada, com garantia de origem e trajetória. Essa é uma iniciativa da empresa florestal brasileira AMATA. Será erguido em um terreno de 1.025 m² localizado na Vila Madalena e terá área total de 4.700 m². Com 13 pavimentos e um conceito mixed-use, o projeto prevê diversas funcionalidades aos espaços, como coworking, coliving. São espaços públicos e privados que interagem com cidade e onde se pode aproveitar dessa nova maneira de viver com mais consciência. Cada 1m³ de madeira reflorestada é capaz de absorver em média uma tonelada de CO² do ambiente, o que vem de encontro com a proposta assinada pelo Brasil durante a 21ª Conferência do Clima (COP 21), realizada em dezembro de 2015, em Paris, que promete florestar 12 milhões de hectares e reduzir em 43% a emissão de gases do efeito estufa até 2030. Essa é uma solução para ajudar a resolver um problema crônico da indústria da construção, que hoje é responsável pela emissão de quase metade do dióxido de carbono do mundo.

 2º LUGAR – PAVILHÃO PARA ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA

Autora Responsável: Maria Jocelei Steck (Steck Arquitetura)

Cidade: Campinas/SP

Descrição do Projeto: Projeto de um pavilhão para funcionar um escritório de arquitetura, que atenda a necessidade do cliente de expansão futura ou redução, totalmente modular com estrutura em madeira que tenha flexibilidade para ser modificado durante sua vida, ou seja, projeto de fácil entendimento, com elementos reutilizáveis, que possa ser desmontado e montado em outro local, ampliado ou reduzido de acordo com as necessidades, sem desperdícios. Flexível, compartilhável, versátil. Economicamente viável e  acessível. Com espaços confortáveis para reunião e compartilhamento ou para isolamento, espaços de descanso, de estar, de criatividade e experimentação, de trabalho, de estudo e pesquisa, de alimento, com espaços intermediários e de transição publico-privado e de integração com a natureza. Que o edifício todo seu terreno lateral aberto convide, dialogue com o entorno e funcione como praça durante o dia para ser utilizado por quem ali passa ou vive e trabalha ao redor, numa clara gentileza urbana.

3º LUGAR – FAZENDA DE CACAU

Escritório: Arco Arquitetos

Autor Responsável: Frederico Zanelato

Equipe: Ana Beatriz Goulart Faria e Sergio Francisco da Silva Faraulo

Cidade: Mogi das Cruzes/SP

Descrição do Projeto: O partido arquitetônico adotado foi baseado no programa de necessidades estabelecido pelo contratante para dar suporte a uma agrícola de Cacau localizada em Ilhéus – BA e informações coletadas através de visitas e literatura relativas ao tema. Foram levados em consideração fundamentalmente aspectos ambientais, geográficos e climáticos, em relação às densidades demográficas, os recursos socioeconômicos e o contexto cultural local, de modo a propiciar ambientes com conceitos inclusivos, aliando as características dos ambientes internos e externos (volumetria, formas, materiais, cores, texturas) com as práticas pedagógicas, culturais e sociais.

CATEGORIA PROFISSIONAL – PROJETO RESIDENCIAL

 1º LUGAR – CASA TERRA

Escritório: Atelier O’Reilly

Autora Responsável: Patricia de Almeida O´Reilly

Equipe: Bruna Hioki e Marianne Araújo Brito

Cidade: Carapicuiba/SP

Descrição do Projeto: Estabelecemos premissas sustentáveis nas fases de projeto e obra da CASA TERRA considerando a inovação tecnológica conectada a aspectos econômicos, ambientais, sociais e educacionais para todo o ciclo da construção. O projeto contribui com a aplicação de estratégias para a melhora da eficiência acústica, energética e gestão dos recursos naturais. O projeto inova aplicando três sistemas construtivos simultâneos alcançando eficiência sustentável e viabilidade econômica. A associação do sistema construtivo, terra, woodframing e aço contribuiu com a diminuição do custo por m2 construído, tempo de obra, resíduos, melhora da eficiência térmica e acústica, controle da umidade relativa dentro do edifício, qualidade do ar interno, resgate de carbono, impacto no entorno, requalificação e formação de mão de obra especializada. A CASA TERRA propõe uma mudança de paradigma na arquitetura e na construção sustentável no Brasil

2º LUGAR – LE DUNE

Escritório: Torres & Bello Arquitetos

Autor Responsável: Alberto Torres

Equipe: Audrey Bello Ramos, Carolina Ramos Torres, Fabrício Lessa e Laurinei Rodrigues (Monte Belo)

Cidade: Porto Alegre/RS

Descrição do Projeto: O Residencial Le Dune, consiste em um volume minimalista de apenas três pavimentos, com objetivo de explorar o diálogo entre a vida privada e a urbana.

As unidades possuem tipologias diferentes, criando uma interessante variedade dentro do mesmo volume, resultando em um edifício sensível e receptivo, sem contorcionismos formais. As fachadas conferem um caráter único ao edifício, sobrepondo o volume básico com uma grelha modular de diversas dimensões. Esta compartimentação, minimiza a percepção da altura da edificação, enfatizando a horizontalidade do volume e se relacionando melhor com o entorno. Além de amenizar a incidência de calor, e preservar o conforto interno das unidades, a grelha acaba por emoldurar a vista para a praia. O projeto envolve diversas práticas sustentáveis como uso racional de recursos como água e energia solar, reutilização de água da chuva, iluminação de alta eficiência, redução da demanda por água potável e uso de materiais sustentáveis.

3º LUGAR – EDIFÍCIO ÍCARO

Escritório: Studio Arthur de Mattos Casas Arquitetura e Design

Autor Responsável: Arthur de Mattos Casas

Equipe: Gabriel de Andrade Ranieri, Marcelo Peixoto Beretta, Regiane Khristian Silva Bouças, Roberto Cabariti Filho e Rodrigo Pereira Carvalho

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: A visita ao terreno foi fundamental na concepção do projeto deste edifício de três torres. As premissas principais eram aproveitar a iluminação natural e garantir privacidade aos apartamentos, sendo que as torres não poderiam sombrear umas às outras e deveriam evitar o contato visual entre as unidades. As floreiras, que se espalham verticalmente pelos andares, marcam a identidade do conjunto e ajudam a filtrar a visão dos apartamentos que se abrem para a paisagem do bosque e do golf clube ao lado do lote. As varandas permitem a circulação exterior em quase todo o perímetro dos pavimentos, diluindo as fronteiras entre interno e externo e imprimindo a sensação de se estar em uma casa. A parede de cobogó, especialmente desenhado para o projeto, marca a entrada do edifício e contribui para a ventilação e a horizontalidade do projeto. As plantas dos apartamentos, que contam com espaços amplos e integrados, são flexíveis, podendo se adaptar aos diferentes programas dos futuros moradores. O concreto aparente da estrutura busca o equilíbrio em contraposição à madeira e ao vidro da fachada, materiais que ressaltam o conceito de permeabilidade e transparência que pautou o projeto.

 DESTAQUE EM CONFORTO

NASP – NOVA SEDE ADMINISTRATIVA

Escritório: Dal Pian Arquitetos

Autor Responsável: Renato Dal Pian

Equipe: Lilian Dal Pian

Cidade: São Paulo/SP

DESTAQUE EM INOVAÇÃO

ARENA DA JUVENTUDE

Escritório: Héctor Vigliecca e Associados

Autor Responsável: Héctor Ernesto Vigliecca Gani

Equipe: Luciene Quel e Ronald Werner Fiedler

Cidade: São Paulo/SP

DESTAQUE EM SUSTENTABILIDADE

ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ

Escritório: Estúdio 41 Arquitetura

Autor Responsável: Eron Costin

Equipe: Dario Corrêa Durce, Emerson Vidigal, Fabio Henrique Faria, João Gabriel Rosa e Martin Kaufer Goic.

Cidade: Curitiba/PR

MELHOR PROJETO DA EDIÇÃO

MORADIAS INFANTIS – FUNDAÇÃO BRADESCO

Escritório: Rosenbaum Projetos + Aleph Zero

Autora Responsável: Adriana Benguela

Equipe: Gustavo Utrabo (Aleph Zero), Pedro Lass Duschenes (Aleph Zero) e

Marcelo Rosenbaum (Rosenbaum Projetos)

Cidade: São Paulo/SP

 

CATEGORIA ESTUDANTE

1º LUGAR – O URBANISMO SUSTENTÁVEL: DO PLANO AO EDIFÍCIO

Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie

Autora: Gabriela Bastos Porsani

Orientador: José Luiz Tabith Junior

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: Previamente ao projeto arquitetônico, foi proposto um redesenho urbano, que conecta e requalifica áreas residuais no bairro de Vila Mariana, em São Paulo, comprovando a necessidade de diretrizes sustentáveis em zonas urbanas consolidadas. A análise da região resultou no Plano de Requalificação do Eixo Metrô Ana Rosa – Parque da Aclimação, composto por um parque linear que conecta três praças preexistentes à uma praça singular desenhada pela nova arquitetura. Dessa forma, o projeto, além de suprir com a carência de um Núcleo Esportivo público para a região, também integra o modelo arquitetônico aos espaços públicos existentes. Ademais, para melhores desempenhos térmicos e acústicos, foram adotadas estratégias da arquitetura bioclimática passiva com elementos pré-fabricados de alta tecnologia, além de propostas sustentáveis como o reúso de águas pluviais, a cobertura verde e o uso de painéis fotovoltaicos, que contribuem para a redução de gastos e de desperdício de materiais.

 

2º LUGAR – HABITAÇÃO ECOEFICIENTE NA CIDADE UNIVERSITÁRIA

Instituição: Universidade Federal do Rio de Janeiro

Autora: Juliete Reichert

Orientadora: Maria Maia Porto

Cidade: Rio de Janeiro/RJ

Descrição do Projeto: O projeto visa a aplicabilidade de conceitos bioclimáticos e de processos construtivos eficientes de menor impacto ambiental em um complexo de uso misto, com habitação, comércio e serviços na Cidade Universitária, Rio de Janeiro, onde há grande demanda por habitação estudantil de rápida construção e que permita flexibilidade de planta, devido a alta rotatividade da comunidade acadêmica. A implantação considerou elementos de conforto ambiental como aproveitamento da ventilação natural e melhor orientação solar, além de buscar catalisar uma transformação da área para além dos limites do terreno, em um ambiente considerado “árido” pela maioria dos usuários. Com isso, foram criados três blocos habitacionais mistos e um bloco de atividades comunitárias de alturas escalonadas, criando uma conexão física e visual através de grandes áreas livres acessíveis projetadas para criar espaços em diferentes escalas, retomando a escala humana em harmonia com a escala dos edifícios e do entorno.

 

3º LUGAR – FAZENDAS VERTICAIS – DESCONSTRUÇÃO, REINSERÇÃO E REVOLUÇÃO 

Instituição: Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Autora: Caroline Teixeira Ito

Orientador: Edson Lucchini Jr.

Cidade: São Paulo/SP

Descrição do Projeto: Este projeto trata de uma fazenda vertical implantada em edifício ocioso na região central de São Paulo, integrada à habitação social transitória para pessoas em situação de rua, que trabalharão no edifício enquanto serão acompanhados para reinserção na sociedade e, quando apresentarem condições de iniciarem uma nova vida, sozinhos cederão lugar a um próximo candidato. A fazenda deverá abastecer um raio equivalente ao trecho percorrido de 5 a 10 minutos de bicicleta e contará com sistemas inovadores de geração de energia, reutilização de água e outros, como o cultivo de microalgas na fachada do edifício para produção de biomassa e aquecimento através da energia térmica da compostagem. A proposta deste projeto é desconstruir o modelo atual e utópico de fazendas verticais, através da reinserção tanto de um edifício na paisagem urbana quanto de pessoas na sociedade e junto com uma série de medidas para o resgate da agricultura urbana, revolucionar o sistema de abastecimento das cidades.

 

X
X