fbpx Skip to main content
Notícias

Construtora prepara um novo ícone urbano para a Grande Florianópolis com empreendimento de uso misto

Por julho 5, 2021No Comments

O município de Biguaçu vai abrigar o edifício residencial e comercial mais alto da Grande Florianópolis (SC). O MHaus Biguaçu terá quase 92 metros de altura  e seguirá uma tendência já consolidada em grandes centros: a oferta de espaços de moradia, lazer, gastronomia, trabalho e convivência em um mesmo local.

O empreendimento terá 25 pavimentos e 45.815,22 metros quadrados de área construída. Na base estarão dois pavimentos comerciais, ambos com mezanino, com mais de 5 mil metros quadrados. Essa área – batizada de Pátio MHaus –  vai abrigar restaurantes, cafés, wine bar e outras operações de gastronomia, lazer e serviços, além de um coworking, e deverá ser entregue à comunidade antes mesmo da conclusão do residencial, em aproximadamente dois anos e meio.

Acima dos pavimentos comerciais haverá dois andares de garagem para atender a área residencial e mais 19 pavimentos de apartamentos  – com unidades de 1, 2 e 3 dormitórios –  e espaços de lazer. O topo do prédio terá um rooftop com completa área de lazer com vista da cidade e da Baía Norte. Estão previstos cinco salões de festas – um deles infantil e outro com forno de pizza -, spa, espaço fitness, piscinas, espaço pets (com estrutura até para banhos dos animais), entre outras opções de lazer e serviços.

A iniciativa é da Construtora MTF, e o lançamento do MHaus marca a celebração dos dez anos da empresa. O projeto de engenharia é da Franzmann, de Blumenau, responsável por sete dos dez maiores edifícios do País. O Studio Methafora, de Florianópolis, é responsável pelo desenho arquitetônico e pelos projetos de interiores e paisagismo.

Ícone urbano e arquitetônico

No planejamento do projeto, os arquitetos do Studio Methafora pensaram na criação de um novo ícone para toda a região. “Nossa intenção foi esculpir um elemento de destaque não só para Biguaçu, mas  para a Grande Florianópolis, que refletisse a qualidade do empreendimento e também essa revolução em termos de porte. Trazer um ícone para a cidade refletindo essa questão do múltiplo uso do prédio e o diferencial que tem em termos de proposta, que  pudesse ser visto e ser comunicado: ‘estou aqui e sou um empreendimento diferenciado'”, afirma o arquiteto Eduardo Momm.

A imponência do volume representou um desafio para a equipe, segundo ele, no sentido de conferir dinamismo à fachada. “Para trazer essa dinâmica e movimento, criamos uma fachada que chamamos de mosaico, que quebra essa monotonia que um empreendimento desse porte poderia ter. A variação da posição das aberturas dos dormitórios nos diversos pavimentos junto com placas verticais posicionadas em alinhamentos distintos trazem essa dinâmica e quebram a linearidade da fachada tanto na vertical quanto na horizontal”, explica o arquiteto.

Esses elementos são reforçados por molduras que geram linhas brancas em toda a fachada e percorrem todo o edifício, “num sistema de hierarquia próprio que gera elementos distintos mais macro, não pontuais, tornando ainda mais dinâmica a leitura da fachada”, acrescenta. O embasamento, de acordo com Eduardo, “é poderoso”. “Ele conta com uma dinâmica própria de movimento  ao mesmo tempo que dialoga com a torre”, detalha. Todos os espaços da base do empreendimento foram projetados com pé-direito duplo.

Nova centralidade

O diretor da Construtora MTF, Thiago Müller, destaca o potencial da cidade. “Biguaçu está em uma região metropolitana que cresce em ritmo acelerado, mas oferece tranquilidade, belezas naturais e outros atributos cada vez mais valorizados por quem busca qualidade de vida. Há na cidade grande potencial para oferta de produtos diferenciados, que estimulem o crescimento urbano de forma organizada e qualificada, o que vai atrair novos moradores e garantir valorização dos imóveis”, avalia.

Considera-se que o empreendimento  – ao reunir opções diversificadas de gastronomia, entretenimento, conveniências, lazer, trabalho e serviços em um só lugar  – criará uma nova centralidade na região. “O MHaus fica em uma zona de expansão muito próxima à praça central, com características e porte que criam uma nova centralidade em Biguaçu. O empreendimento tem esses predicados, tem essa identidade, tem esse peso para dar o tom dos novos empreendimentos que virão, e isso graças à ousadia da MTF de querer fazer diferente. Não se trata de uma área comercial pequena, mas de uma área que atenda toda a população de Biguaçu e também da Grande Florianópolis”, afirma o arquiteto Italo Marçal Schiochet, do Studio Methafora.

 

 

X
X