fbpx Skip to main content
Notícias

“Concursos como Prática: A Presença da Arquitetura Paranaense” é tema de exposição e documentário

Por outubro 12, 2021No Comments

Já está no ar o documentário “Concurso como Prática: A Presença da Arquitetura Paranaense”, integrante da exposição de mesmo nome em cartaz no Museu Oscar Niemeyer (MON) até o dia 12 de dezembro. O documentário está disponibilizado no canal do YouTube do MON.

O filme com roteiro, direção e produção dos arquitetos Isabela Maria Fiori e Luiz Gustavo Singeski, em coautoria com Felipe Santos Gomes, expõe um amplo panorama da participação e premiações de equipes do Paraná em concursos de arquitetura.

O documentário traz depoimentos, projetos e obras de alguns dos personagens mais importantes da arquitetura e do urbanismo locais, como Jaime Lerner, José Sanchotene, Luiz Forte Netto, Manoel Coelho, Dilva e Orlando Busarello, Leonardo e Raquel Oba, além da nova geração, como os arquitetos do Estúdio 41, autores da Estação Antártica Comandante Ferraz, e a arquiteta Mariana Gusmão. Conta, também, com análises teóricas da curadora da exposição, Elisabete França, e dos pesquisadores Key Imaguire Junior, Paulo Pacheco, Thais Saboia e Fábio Domingos Batista.

A obra resgata não só a memória e os desafios encarados por arquitetos e arquitetas paranaenses que se destacaram – e ainda se destacam – no cenário nacional, mas também as soluções por eles propostas que foram premiadas em competições de arquitetura e coloca em perspectiva o saber arquitetônico e a prática adotada por diversas gerações conectadas pelo meio acadêmico, desvelando uma peculiar inquietação arquitetônica e excelência de projetos que fizeram com que o Paraná se tornasse, desde a década de 1960, o berço de grandes vencedores desses concursos.

 

 

Exposição

Em cartaz na Sala 1 do MON, a exposição é o resultado de uma pesquisa que levantou a importante presença do Paraná com projetos premiados nos concursos nacionais e internacionais de arquitetura realizados nas últimas seis décadas.

Com curadoria da arquiteta, pesquisadora e professora Elisabete França, a mostra apresenta uma linha do tempo com 252 premiações em 165 concursos, com a participação de 402 profissionais. Há ainda 40 maquetes dos projetos de maior impacto como o da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro; da Estação Antártica; do anexo da Assembleia Legislativa do Paraná; do Teatro Guaíra; da sede da Eletrosul, em Florianópolis; do complexo turístico Euro Kursaal; da sede do BNDES, em Brasília, entre outras. Traz infográficos, desenhos e fotografias e o videodocumentário.

A curadora da mostra afirma que a exposição resgata a participação dos profissionais paranaenses nas competições nacionais e internacionais, bem como destaques recebidos nas premiações. “Trata-se de uma homenagem aos profissionais participantes desse imenso laboratório de ideias que caracteriza a produção da arquitetura local, que resulta da indagação coletiva que reúne e integra arquitetos de várias gerações”, explica Elisabete. “O MON, cada vez mais, se consolida como a casa da arquitetura paranaense”, comenta.

“Mais do que um referencial da arquitetura, o MON é hoje o reflexo vivo dos que aqui passam: artistas, curadores, público”, afirma a diretora-presidente do Museu, Juliana Vosnika. “Por isso, não poderia haver instituição mais apropriada para a realização desta exposição.” Ela comenta que mostras como esta justificam a busca incessante do MON em trazer cada vez mais visitantes para essa fruição de conhecimento, beleza e reflexão promovida pelo Museu. “A exposição nos faz pensar no papel desses profissionais, sempre desafiados a apresentarem soluções inovadoras. É uma viagem no tempo que nos permite admirar a brilhante atuação de paranaenses em concursos nacionais nas últimas seis décadas”, resume.

 

 

Serviço

“Concursos como Prática: A Presença da Arquitetura Paranaense”

Sala 1

Visitação: terça-feira a domingo, das 10h às 18h – até 12 de dezembro.

Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999

www.museuoscarniemeyer.org.br

X
X