Projetos

Consultório médico ganha projeto minimalista e funcional

Por abril 4, 2019 Sem comentários

O padrão cimento queimado é o principal protagonista do projeto do consultório médico elaborado pelas arquitetas Carolina Danylczuk e Lisa Zimmerlin, da UNIC Arquitetura, de Curitiba (PR). A ideia partiu das profissionais e foi logo aprovada pelo cliente, um médico infectologista, de 29 anos, com um estilo moderno e descontraído.

Com 25 metros quadrados, o espaço foi criado a partir da composição cromática do preto, do cinza e do branco. O objetivo das arquitetas foi romper com a tradição de ‘tons pastéis’ que predominam em projetos de clínicas. E escolheram painéis de MDF no padrão cimento queimado para revestimento das paredes principais.

Intervenções

O imóvel era novo e dispensava grandes reformas. O projeto de arquitetura de interiores desenvolvido por Carolina e Lisa para o consultório previu apenas as intervenções necessárias para implementação dos novos projetos elétrico, hidráulico e de ar condicionado, assim como a nova paginação do forro, em gesso. “Aproveitamos o uso de painéis para esconder a estrutura de vigas e pilares, e também para propor armários que suprissem as diversas necessidades de um consultório médico”, declara Carolina. Para o piso, elas optaram pelo porcelanato.

Seguindo a linha minimalista, funcional e atemporal, os ambientes do consultório foram criados para cada função dentro de uma planta integrada: recepção, sala de consultório e banheiro. A linguagem contemporânea é reforçada pelas linhas retas e pela funcionalidade priorizada. O mobiliário traz peças assinadas por Jader Almeida.  Na ambientação, utilizaram quadros da Urban Arts e obras de acervo pessoal do cliente.

 

Principais fornecedores:

Iluminação e elétrica – Heliandro / RBC Iluminação
Revestimento piso – Portobello
Forro – Valdir
Ar condicionado – VRF
Marcenaria – Ambiente Ideal
Pedras – Firenzi Marmoraria
Mobiliário solto – Tok Stok  e Jader Almeida

Fotos: Eduardo Macarios | Divulgação 

 

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X