Notícias

Universidade gaúcha lança espaço de inovação voltado para a indústria criativa

Por setembro 19, 2018 Sem comentários

A Universidade Feevale está preparando um novo espaço de convergência e sinergia, voltado ao desenvolvimento de novos negócios e oportunidades com foco na indústria criativa. Trata-se do Hub One de Criatividade e Inovação, cuja obra já se iniciou junto ao Câmpus II da Instituição, na Rua Rubem Berta, 38, bairro Vila Nova, em Novo Hamburgo  (RS). O lançamento foi realizado no último dia 11.

Com investimento de cerca de R$ 2,5 milhões, o projeto prevê uma área de 1.681,40 metros quadrados destinada a projetos institucionais, bem como à instalação de empresas hoje abrigadas na unidade de Novo Hamburgo do parque tecnológico, somados a ações já existentes na Universidade Feevale, que servirão de apoio e que tenham integração com o ensino e a pesquisa. O espaço colaborativo, aberto a estudantes, professores, comunidade acadêmica, empresas e profissionais, reunirá ambientes de desenvolvimento de projetos e negócios, visibilidade, cooperação e sociabilidade, característicos do setor criativo.

O Hub One foi projetado para comportar cerca de 23 salas, das quais três serão destinadas a reuniões e uma a laboratórios, com capacidade para atuação de 1.000 profissionais, simultaneamente, distribuídos em espaços abertos de trabalho compartilhado, salas privativas e incubadora. O ambiente será mutável e flexível, sendo adaptado de acordo com as necessidades observadas.

O projeto arquitetônico foi desenvolvido pela Gerhard + Spindler Arquitetura, sob a inspiração dos espaços de trabalho de empresas e startups internacionais, como a Google e a LinkedIn. “Ficamos extremamente entusiasmados com a possibilidade de desenvolver um projeto, juntamente com a Universidade Feevale, que prima pela tecnologia, pela flexibilidade dos espaços e pela atemporalidade da arquitetura. Nosso grande desafio foi fazer com que as empresas tivessem a infraestrutura para crescer com a Universidade de forma próxima”, afirma Rafael Spindler, arquiteto responsável pelo projeto.

Assim, a equipe de arquitetura planejou espaços bem definidos e, ao mesmo tempo, locais de convivência e interação. “Vamos trabalhar com materiais atemporais, muitas transparências, vidros e estruturas metálicas, para que as empresas que se instalem ali saibam que estão em um ambiente arquitetônico acima da média, buscando a integração”, complementa Rafael.

As fachadas da edificação estarão em sintonia com o conceito.  Elas serão totalmente grafitadas pelo artista Rafael Jung, graduado em Artes Visuais pela Feevale, que recebeu carta branca para criar. “A partir dos tons do logo da Feevale, trabalhei no fundo da pintura do prédio e desenvolvi um personagem em duas versões: o Panito”, explica o artista. Em uma das versões, ele estará representado em formato mais humano; já na outra, apresentará aspecto tecnológico, como um robô humanoide. “As duas representações se encontram com a poção da sabedoria, que simbolizam a Feevale. A ideia é instigar o surrealismo e a imaginação das pessoas que passam pelo local, para que elas tenham vontade de entrar ali”, reforça Rafael .

Infraestrutura e áreas de atuação

O formato do Hub One é inspirado nas principais iniciativas de desenvolvimento de espaços criativos pelo mundo, possibilitando trocas, conexões, ambientes colaborativos, alta tecnologia e diversidade cultural. Além disso, contempla suportes mais tradicionais ligados aos parques tecnológicos, como consultorias em planejamento de negócios, inovação, financeiro, comercial, assessoria jurídica, apoio para a legalização do empreendimento, consultoria em comunicação e marketing estratégico, além de treinamentos em técnicas de venda, pitching, propriedade intelectual e gerenciamento de projetos.

Para o reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov, o Hub One não será um prédio qualquer, mas um espaço de integração, onde se respira tecnologia, empreendedorismo e inovação. “Esse espaço é um sonho de muitas pessoas. Um sonho que encontramos aqui, quando começamos a reunir os empreendedores e os criativos. É o sonho de juntar a tecnologia, a inovação e a criatividade. E isso não é possível se não existir a universidade com o conhecimento e os empreendedores com a sua vontade de fazer melhor e mais rápido. Este é o conceito: um espaço diferenciado, onde não se sabe quem é aluno, professor, empreendedor ou visitante; um espaço aberto, para que as pessoas possam estar aqui sendo felizes e trabalhando naquilo que gostam”, ressaltou.

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X