Projetos

Projeto qualifica espaços de tradicional lanchonete de Porto Alegre

Por setembro 10, 2018 Sem comentários

Quem já saiu de Porto Alegre (RS) em direção às praias do Litoral Norte gaúcho pela Avenida Assis Brasil, provavelmente deve ter começado a viagem com uma paradinha para abastecer o carro no posto Garoupa, do ladinho da FIERGS. E quem sabe também aproveitou para fazer um lanche no restaurante e lanchonete de mesmo nome em anexo ao tradicional posto de combustível da cidade.

Há décadas, o Garoupa serve lanches rápidos e refeições, em buffet, durante o almoço. Há dois anos, no entanto, a filha do proprietário assumiu a cozinha do local e provocou uma revolução, não só no cardápio. A jovem chef, supercriativa, passou a criar pratos simples e diferenciados. E era preciso atualizar os ambientes para essa nova proposta, mais leve, mais inovadora.

“O ambiente não combinava com suas criações e não era convidativo para um público novo”, explica a arquiteta Aline Furhmeister, do escritório DU Arquitetura, que assumiu o projeto de Arquitetura de Interiores. A missão era transformar o local em um restaurante de linguagem jovem e moderna. “Mas com soluções simples e criativas, como os pratos servidos”, complementa.

O novo e o antigo foram combinados em uma proposta bastante atual. A primeira decisão de projeto foi separar os buffets para evitar a formação de filas. “O que foi possível em função da amplitude do espaço”, pondera Aline. Assim, saladas, pratos quentes e sobremesas estão agrupados em ilhas independentes.  A identificação de cada uma delas é feita por meio de letras caixas iluminadas, fixadas em suportes aéreos executados com telas de galinheiro. O buffet de sobremesas fica exposto na bicicleta do projeto Oh my bike Gastronomia – itinerante, atende a eventos personalizados. Um fogão antigo complementa o buffet, com sopas e feijoadinha. Pequenas hortas foram espalhadas pelo ambiente, reforçando o astral descontraído do restaurante, assim como o grafite em destaque em uma das paredes.

O mobiliário projetado combina ferro e madeira em sua estrutura, e as cadeiras especificadas são de plástico, para facilitar a manutenção. Todas as instalações ficaram aparentes. As TVs foram instaladas nos painéis aéreos, de modo discreto, para atender a um pedido dos clientes mais antigos. Para os banheiros, Aline seguiu a mesma proposta ‘descolada’. Dentre as criativas soluções, destaque para o uso de tonéis reaproveitados do posto de gasolina como pias.

O restaurante ganhou, também, áreas com mesas comunitárias para refeições em grupos. Elas foram projetadas em dois containers adicionados ao espaço, com laterais envidraçadas que podem ser fechadas para encontros exclusivos em reuniões-almoço ou eventos.

 

Fotos:  Marcelo Donadussi| Divulgação

 

X
X