Notícias

Porto Alegre recebe o Congresso Brasileiro de Arquitetos

‘Espaço e Democracia’ é o tema do 21º Congresso Brasileiro de Arquitetos que ocorrerá em Porto Alegre esta semana, de 9 a 12 de outubro, em dez diferentes locais da cidade.  O evento é preparatório para o encontro mundial, o UIA 2020, no Rio de Janeiro. O CBA apresenta com uma variada programação de palestras, debates, oficinas, minicursos, além da apresentação de trabalhos profissionais e acadêmicos. As inscrições estão abertas e podem ser feitas no site www.21cba.com.br.

Arquitetura, Cidade e Ambiente; Cultura e Memória; Formação e Fazer Profissional são os três eixos temáticos que vão nortear os debates do 21º CBA,  realizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), com a co-realização do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR e CAU/RS) e de diversas entidades parceiras: Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (ABEA), Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP), Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (FENEA), Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas (FNA), Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), Sindicato dos Arquitetos no Estado Rio Grande do Sul (Saergs) e da Associação de Arquitetos de Interiores do Brasil/RS (AAI Brasil/RS).

O CBA homenageia a arquiteta e urbanista gaúcha Briane Panitz Bicca (in memorian), que morreu no dia 2 de junho do ano passado, em Porto Alegre. Briane é lembrada como um dos principais nomes na luta pela preservação do Patrimônio Histórico Cultural brasileiro. Trabalhou como técnica de planejamento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) entre 1979 e 1992, quando coordenou o grupo de trabalho para que Brasília se tornasse Patrimônio Cultural da Humanidade. Também na capital federal, foi responsável pela implantação e coordenação, de 1992 a 2001, do Setor de Cultura da Unesco no Brasil. Em Porto Alegre, onde residia com a família, integrava o Conselho Superior do IAB e o CAU/BR, e era coordenadora do PAC Cidades Históricas. Briane Bicca foi coordenadora do Projeto Monumenta, responsável pelo restauro e recuperação de prédios históricos e praças da capital gaúcha, e atuava na Coordenação de Memória e Patrimônio Cultural da Secretaria Municipal da Prefeitura da cidade. Entre diversas homenagens recebidas ao longo da vida, destaca-se o Prêmio Conselho Estadual de Cultura, em julho de 2018.

Destaques da programação do CBA

O Congresso terá início no dia 9 de outubro, com variadas atividades artísticas em diferentes locais da cidade, já a partir das 9h. O credenciamento será das 11h às 18h, na Praça da Alfândega.

A Mesa de Abertura será composta às 19h30, no Auditório Araújo Viana, sendo precedida pela apresentação da Orquestra Villa Lobos. A Conferência de Abertura está agendada para Às 21h, no mesmo local, com palestra da arquiteta e urbanista Ermínia Maricato, mestra, doutora e professora titular aposentada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, na qual também atuou como coordenadora do curso de pós-graduação. Foi secretaria de Habitação de Desenvolvimento Urbano do Município de São Paulo e Vice Ministra das Cidades, quando formulou a proposta de criação do Ministério das Cidades.

No dia 10 de outubro haverá apresentação de trabalhos e diversas atividades sobre os temas Athis, Habitação Social, paisagismo, BIM, a atuação da FeNEA, arquitetura indígena, mercado imobiliário, patrimônio cultural, ética na Arquitetura e Urbanismo, economia circular, Arquitetura de Interiores, EAD versus ensino presencial, espaços públicos e desenho urbano.

Entre os destaques do dia estão a sessão livre com o arquiteto e urbanista Isay Weinfeld, e mediação de Roberta Edelweiss, das 9h às 10h30, no Salão de Atos da Ufrgs; e o grande debate “Espaço e democracia: direito à cidade”, com Claudio Acioly Jr., Carlos Vainer e Rita Velloso. Mediação de Rafael Passos, das 19h às 21h, no mesmo local.

No dia 11 de outubro, os temas em pauta na programação são atuação profissional na perspectiva de gênero, mobilidade, plano diretor, arquitetura popular brasileira, concursos públicos, contrato de prestação de serviços, energia solar, gestão de riscos, Athis, arquitetura e segurança pública, conflitos e desastres ambientais, Arquitetura de Interiores.

Entre os destaques estão a sessão Temática “Mobilidade: democratização do acesso à cidade”, com Emilio Merino e Gisela Mendez, com mediação de Julio Celso Vargas, das 9h às 10h, no Centro Cultural da Ufrgs; a sessão temática “Briane Bicca: vida e obra”, com Jurema Machado, Luiz Philippe Torelly e Luis Custódio, com mediação de Oritz Campos, das 14h às 15h30, na Praça da Alfândega; e o grande debate “Espaço e democracia: direito à moradia”, com Betânia Alfonsin, Bete França e Nabil Bonduki e mediação de Pedro Rossi, das 19h às 21h, no Salão de Atos da Ufrgs.

No dia 12 de outubro, os temas em debate são cultura e memória, cidades muradas, planos populares de ação regional, patrimônio histórico, cidades e direitos humanos, ODS e a nova agenda urbana, Athis, certificação e sustentabilidade.

Entre os destaques estão a sessão temática “Mesa Preparatória UIA2020”, das 14h às 15h30, no Multipalco Eva Sopher; e a conferência de encerramento “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, com Sérgio Magalhães, das 17h às 18h30, no teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa. Arquiteto e doutor em urbanismo, Sérgio é professor do Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da FAU/UFRJ. Foi secretário municipal de Habitação do Rio de Janeiro (1993-2000) e secretário de Estado de Projetos Especiais do Rio de Janeiro (2001-2002). Recebeu o Prêmio FAD-2012, em Barcelona, concedido à prefeitura carioca pelo Programa Favela-Bairro e o Prêmio América de Arquitetura, em 2013, em Bogotá. Ex-presidente do IAB/Direção Nacional e o presidente do comitê executivo do UIA2020.

 

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X