Notícias

Pesquisa destaca a importância das redes sociais no mercado de casa e construção

Por agosto 20, 2019 Sem comentários

Setor de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae desenvolveu uma pesquisa que aborda o segmento de Casa & Construção nas redes sociais, monitorando as plataformas mais utilizadas, a presença das empresas e os temas abordados com frequência. Para a instituição, as redes sociais desempenhar um papel importante no setor, sendo consideradas uma das principais fontes de informações sobre o assunto por possibilitarem o compartilhamento de experiências, além da rápida disseminação de tendências.

O estudo do SIS/Sebrae foi realizado com a utilização de ferramentas de monitoramento para captação de dados em relativos ao comportamento do consumidor do setor de Casa & Construção nas redes sociais. As seguintes plataformas foram monitoradas entre os dias 10 de março de 2019 e 10 de abril de 2019: Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. No período, foram coletadas 28.724 publicações.

Principais dados levantados

Entre as redes sociais monitoradas, o Instagram concentrou o maior número de ocorrências. Nessa plataforma foram divulgadas 90,82% das publicações coletadas. Embora o Instagram centralize grande parcela do conteúdo associado ao segmento, os perfis dos publicadores mais influentes estão no Facebook, Twitter e YouTube, considerou o estudo.

Conforme o levantamento, os usuários tendem a abordar assuntos de Casa & Construção no fim da tarde e no período noturno. Das publicações coletadas, 97,10% foram consideradas “neutras”, ou seja, não tendiam para uma abordagem positiva ou negativa. A maioria das publicações que abordam temas relacionados ao setor de casa e construção nas redes sociais foi feita por mulheres (43,44%). Os homens ficaram com 37,11% das postagens.

Os resultados do monitoramento indicaram que as publicações sobre Casa & Construção se concentram em cidades do Sudeste e Nordeste. Essas são as regiões mais populosas do Brasil, o que impacta na quantidade de ocorrências obtidas. As capitais São Paulo (SP), Salvador (BA), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Fortaleza (CE) figuram entre as mais presentes.

Tendências do setor

Decoração é o termo mais utilizado nas publicações, mostrando o interesse do público pelo assunto. A palavra “reforma” apareceu na lista das mais citadas, indicando oportunidades de mercado. “Artesanato” foi outra expressão muito usada pelos publicadores, assim como “WhatsApp”. Essa última traz um indicativo de qual canal de comunicação pode ser utilizado pelas empresas para contato com os clientes, na análise da instituição. A tag “DIY” (“Do It Yourself”, relacionada a projetos “faça você mesmo”) também mostrou grande relevância. Entre as matérias-primas citadas, a madeira mostrou que tem a preferência do público, pois foi o primeiro material a aparecer na lista dos termos mais frequentes.

Organização também foi um termo em evidência. Práticas associadas ao tema ganham cada vez mais adeptos, tendo como principal referência a japonesa Marie Kondo. Com livros que abordam conceitos de organização tradicionais em seu país, ela conquistou grande sucesso. Além disso, a tendência é impulsionada por fatores como redução dos espaços em imóveis e disseminação de estilos de vida minimalistas, em que os objetos perdem valor e as pessoas buscam práticas de simplificação, considera a análise.

É possível cadastrar-se gratuitamente no SIS Sebrae para receber mensalmente os relatórios de inteligência, casos de sucesso, cenários, projeções e análises diagnósticas do mercado. Clique aqui para acessar.

 

Leia também:

Pesquisa aponta: móveis lideram nas lojas físicas e objetos de decoração têm grande demanda no e-commerce

Pesquisa aponta cenários para a indústria da construção no Brasil nos próximos anos e orienta empreendedores

 

 

X
X