fbpx
Projetos

Personalização como conceito em projeto de arquitetura de interiores

Por outubro 15, 2020 Sem comentários

Estabelecer a conexão entre os valores pessoais dos moradores e cada elemento que compõe o espaço de morar. Esta é uma premissa dos projetos desenvolvidos pelo arquiteto Gabriel Fernandes. “É uma casa de intimidade”, pontua o profissional, referindo-se à residência localizada no município de Praia Grande, no litoral de São Paulo, da qual assumiu o projeto de arquitetura de interiores. Neste projeto, a personalização foi elevada ao extremo.

Gabriel já conhecia o perfil e os interesses da família, já que esse foi seu segundo trabalho para eles: um casal com dois filhos adolescentes. A trajetória dos profissionais envolvidos, a procedência dos materiais, a história por trás dos elementos são aspectos valorizados pela cliente – e por Gabriel – assim como o apuro estético. O cliente, empresário do ramo da construção civil, esperava a criação de um refúgio, para encontro com os amigos e interiorização.

Com projeto de arquitetura de Fabiano Hayasaki, a casa totaliza 1.715 metros quadrados, divididos entre três pavimentos. No subsolo, estão garagem, academia, spa, área técnica e o “Man Cave”, espaço mais dedicado ao cliente para se reunir com os amigos e realizar reuniões de trabalho. No térreo está a área social, com sala de estar, sala de conversa, sala de jantar, espaço gourmet, lavabos, cozinha, área de serviços, e quarto de hóspedes e área externa. No primeiro pavimento, está o andar íntimo, com três suítes, sala íntima e espaço para a rouparia da casa. Os pavimentos estão interligados por escadas e por um elevador. “Esta casa precisava de uma atenção especial pelo tamanho para que os espaços tivessem conexão entre si e o resultado da finalização fosse contínuo em composição aos estudos de arquitetura”, ressalta Gabriel.

E precisava de elementos que contribuíssem para a criação de um “oásis”, como era desejado pelos clientes. Nessa missão, os tapetes desempenharam importante papel. “Quando a gente busca um tapete, quer uma casa vestida, mas com praticidade e conforto. É permitir entrar na casa e botar o pé em algo divino, que te coloque no céu, que te dê paz, calma. O tapete, para mim, tem esse significado”, revela.

 

Personalização como conceito

“Acredito na casa como um templo de vida. Tudo o que eu coloco ali é o que eu quero ver, ter, sentir, gostar. Ensino muito isso aos meus clientes, para não comprarem algo apenas porque está na moda ou tem bom preço, mas, sim, aquilo que tenha amor envolvido, que se saiba a procedência, como é feito e por quem é feito”, afirma o arquiteto. E nesse processo de “humanização da compra”, como ele define, Gabriel vai além, e procura personalizar ao máximo os elementos que compõem seus projetos. “Tenho uma concepção criativa de projeto que envolve o desenho exclusivo de muitas peças – mobiliário, objetos, quadros, tapete. Gosto muito de construir tudo o que é colocado dentro dos meus projetos junto com os meus parceiros. Ultimamente, tenho feito isso até com alguns designers de produto”, explica.

Em paralelo, realiza uma acurada curadoria na seleção das peças de design. Para este projeto, Gabriel associou ícones do design internacional, como a cadeira Golem, do designer italiano Vico Magistretti, a peças pautadas pela valorização da ancestralidade, como a coleção Genius Loci, da designer gaúcha Nicole Tomazi, criadas sob o conceito de slow design, e a peças que integram design e arte popular, como a cadeira escultural produzida por Valmir Lessa, de Ilha do Ferro, no sertão de Alagoas. Dentre as obras de arte, destaque para a Pés Descalços e a Céu da Dona Laudinete, do fotógrafo de cultura e arte popular brasileira Marcelo Oséas, as quais conduziram as decisões em relação aos materiais de revestimento e à paleta cromática dos ambientes onde estão expostas.

Os tapetes foram desenhados pelo próprio arquiteto, produzidos pela Tapeçaria Italiana, de Blumenau (SC), referência nacional em tapetes personalizados. “No living, a curva do mar nos inspirou para o encaixe das mesas orgânicas desenhadas pelo Estúdio Lattoog, traduzida na cor branca dos 4 mil metros de corda da poltrona Antropófago, um dos ícones do designer Pedro Franco”, explica Gabriel. Essa sobreposição de elementos faz parte da concepção criativa do arquiteto. “Tapete, para mim, é uma consequência da criação do projeto. Quando estou desenhando, as ideias vão fluindo, e o meu desenho acontece muito com um layer sobre o outro. Para mim, tudo é um conjunto e tudo deve estar interligado”, argumenta.

Além do living e do espaço gourmet, também receberam tapetes projetados por Gabriel especialmente para o local o quarto da menina, ambiente planejado em tons de azul turquesa e ocre, inspirado em cenas hippie e românticas dos anos 1970; o quarto do menino, que apresenta um décor mais contemporâneo e masculino, ainda com influências setentistas nas formas psicodélicas dos tapetes que se encaixam, dando continuidade à poltrona giratória redonda; e o quarto do casal. Para esse último, além do tapete principal, que marca o espaço de dormir e valoriza a bombê que está na família há gerações, Gabriel também projetou um tapete oval, propositalmente assim desenhado para encaixe das poltronas giratórias em tecido rosa, com curvas paralelas no desenho, “numa sobreposição de layers, ou seja, uma camada precisa da outra para acontecer”.

Associando o processo industrial de fabricação a técnicas artesanais, a Tapeçaria Italiana seguiu à risca o desenho do arquiteto. “A possibilidade de personalizar o tapete, para mim, é incrível. É uma consequência de um processo de humanização do mercado de design em geral. E tudo o que é ‘personalizável’ sai da posição de produto e entra na condição de objeto de desejo – é olhar para o produto e saber que é o melhor que poderia existir exclusivamente para ti”, considera Gabriel.

O empresário Walid Abdouni, proprietário da Kyowa Tapetes, de Santos (SP), confirma a importância da personalização dos tapetes para arquitetos, designer de interiores e decoradores da região. “Os profissionais costumam valorizar muito a possibilidade de customização de cores, textura, design e que ainda entrega funcionalidade, seja delimitando os ambientes ou trazendo o tão esperado conforto e aconchego que os tapetes proporcionam. Isso, sem dúvida, valoriza demais os projetos que cada vez mais estão mais voltados para o conforto e aconchego”, afirma Walid, parceiro da Tapeçaria Italiana desde 2017. Segundo Walid, a qualidade da matéria-prima utilizada na fabricação e a atenção aos detalhes de cada projeto são importantes diferenciais da marca. “E, também, as infinitas composições de alturas e texturas dos fios, a possibilidade de comprar o tapete na medida e ainda com acabamento sem costura aparente nas bordas faz do tapete o grande protagonista”, acrescenta.

 

F I C H A  T É C N I C A

Local: Praia Grande, SP
Área: 1.715 m²
Arquitetura: Fabiano Hayasaki
Arquitetura de Interiores: Gabriel Fernandes
Paisagismo: Regina Peres
Fotografia: Denilson Machado (MCA Estúdio)

 

 

X
X