Eventos

Maior feira de design autoral do país, MADE reunirá uma centena de expositores. E terá ‘Design do Sul’ por lá

A MADE (Mercado.Arte.Design), primeira e maior feira de design colecionável da América Latina, chega a sexta edição reafirmando seu compromisso como principal vitrine autoral do país. Entre os dias 27 de junho e 1º de julho, peças exclusivas dos mais de 100 expositores nacionais e internacionais tomam conta do Pavilhão da Bienal, em São Paulo (SP). São intervenções inéditas, designers, galerias, talks e exposições que fomentam a cultura do design no Brasil.

A feira estará setorizada em Coletivo 5M, Coletivo 10M, Galeria e Handmade, totalizando uma centena de expositores. Os melhores projetos de cada um dos espaços serão agraciados com o “Prêmio Bradesco Private Bank MADE de Design & Arte”. Denise Aguiar, diretora da Fundação Bradesco e membro do conselho de administração do Banco, integra o júri de seleção do prêmio, que também é composto pelos membros do Conselho Consultivo da MADE: a designer Cláudia Moreira Salles, o arquiteto Márcio Kogan, o curador de design Jorn Konijn, o publicitário Mauricio Eugênio e a empresária Corinna Sagesser, além dos sócios da W/Design, organizadora do evento, Waldick Jatobá, Bruno Simões e Elcio Gozzo.

Design do Sul

Da região Sul do país, lá estarão Nicole Tomazzi (10M), Inês Schertel (10M) e Carolina Peraca (Handmade), do Rio Grande do Sul; e T44 + Luiza Caldari (10M) e Diogo Giacomo Tomazzi (5M), de Santa Catarina.

A designer Nicole Tomazzi lançará a Coleção ‘Genius Loci – o espírito do lugar’, com mesas e armário produzidos com palha de trigo, valorizando uma prática secular de artesãos. “Um mergulho intenso também em minhas origens, no fazer manual que acompanha meus antepassados, no retrato de uma região, na cultura do artesanal que passa por gerações contando histórias de vida”, conceitua a designer, bisneta de imigrantes italianos. Clique aqui e saiba mais.

A arquiteta Inês Schertel  leva para a MADE peças produzidas por ela com lã de ovelha, matéria-prima obtida em sua própria fazenda, em São Francisco de Paula, interior do Rio Grande do Sul, onde cria cerca de 400 ovelhas. Todo o processo de slow design tem a participação de Inês, da obtenção da lã, à seleção do material à produção das peças. “Usando a lã, fibra 100% natural e 100% renovável,  homenageio uma tradição ancestral,  propondo algo novo, fresco e contemporâneo”, explica. Clique aqui e saiba mais.

A designer Carolina Peraca apresentará a coleção Paper Edition, com tableware, peças decorativas e esculturas de parede em porcelana que trazem mensagens gravadas no material.  “Como uma folha de papel rasgada, a porcelana combinada com a sofisticação do ouro, a mensagem fica eternizada no material. Não se decompõe. Você pode oferecer um bolo caseiro ou comprado, e ao mesmo tempo expressar o seu sentimento naquele momento, no prato que será servido ‘Feito com Amor'”, descreve. Clique aqui e saiba mais.

O T44 Studio, formado pelos irmãos Dennys Tormen, designer industrial, e Patrick Tormen, engenheiro ambiental, e a designer de moda Luiza Caldari somaram talentos para participação na MADE. Eles juntaram as peças de design criadas pelo estúdio com a tapeçaria manual por meio do processo de tufting para dar volume às cores e formas. Clique aqui e saiba mais.

O arquiteto e designer Diogo Giacomo Tomazzi leva para a MADE uma coleção que tem o movimento modernista paulistano como grande inspiração. As novas peças fazem uma reverência especial aos principais projetos da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi: a poltrona BO, o tapete Pompeia, a luminária Modernista e a Janela, que são nove peças executadas em mármore nacional que podem assumir diferentes funções, de objeto de parede, luminária, bandeja a mesa lateral. Clique aqui e saiba mais.

 

Exposições
Simultaneamente à exibição de produtos, a MADE reúne diversas exposições nacionais e internacionais que reafirmam o compromisso do evento em promover o design assinado:

Studio Reconstitution – Robert Stadler – Essa exposição tenta trazer o universo criativo do designer dessa edição, combinando imagens de produtos e protótipos originais;

Philip Johnson: Machine Art Revisited – Exposição tema desse ano. Será criado um espaço com reproduções de fotos da exposição original de 1934 em grande formato, e uma das instalações será recriada dentro da feira, sob o olhar da Curadora Chefe e Diretora Criativa da Fundação Glass House, Hilary Lewis;        

Pacha  – Designers da UPC – Universidade Peruana de Ciências Aplicadas, comandada pelo arquiteto Mario Alonso Ricci Garay, ao lado do chef de cozinha Diego Oka, criaram serviços de mesa em cristal e mármore para enaltecer a cozinha peruana contemporânea;

Projeto Growroom – O projeto Growroom, comandado pelos arquitetos dinamarqueses Sine Lindholm e Madis Ulrich Husum, é parte da iniciativa SPACE 10 e explora as possibilidades de uma horta urbana de maneira  local e sustentável através da fabricação digital;

Eu Falo Colher   – O designer industrial Sérgio Cabral apresenta a exposição “Eu Falo Colher”, que tem como ponto de partida memórias da infância onde a imagem do uso da colher era recorrente pela sua mãe, tanto para cozinhar quanto para reeprender e educar. Diante disso, ele convidou os designers Carol Gay, Cristiana Bertolucci, Murilo Weitz, Noemi Saga, Natasha Schlobach, Paulo Alves, Ricardo Cardim, Super Limão Studio, e sua mãe Flávia Rocco, para participarem da exposição. Os profissionais doaram pedaços de madeira – matéria-prima com os quais estão acostumados a trabalhar – para ele desenvolver peças únicas e exclusivas.

Plastic  MADE  for…    – Dos avanços da medicina passando pela mobilidade. Da ousadia das passarelas e as possibilidades de criação no design de mobiliário. O uso consciente do plástico na sociedade atual será o tema abordado na exposição promovida pela Braskem, patrocinadora do evento, com cenografia pensada especialmente como uma vitrine de percepções e experiências com o material. Esta exposição foi proposta para ativação da marca Braskem, um dos patrocinadores do evento.

Operários  – Com a escolha do Machine Art como tema da feira, o artista plástico Marcelo Tolentino propõe  um painel para o espaço da Mitsubishi com o objetivo de mostrar uma outra parte fundamental do processo industrial: as pessoas por trás das máquinas. Numa releitura da clássica pintura “Operários” de Tarsila do Amaral, a ideia é retratar, utilizando o barro como matéria-prima, parte do quadro de funcionários da própria Mitsubishi, patrocinador do evento;

Sandproject for Atelier NL – Holanda – Essa exposição com a curadoria de Jorn Konijn será mostrada pela primeira vez fora da Europa. Serao apresentados objetos de vidro feitos com areia recolhidade de diversas partes do mundo, conforntando a industri que geralmente só utiliza a mais pura e branca sílica. Atraves de uma forte pesquisa feita para o projeto, o Atelier NL aborda o universo do design e meio-ambiente de forma lúdica e única;


Geração de conteúdo  

Com temáticas anuais relacionadas ao universo criativo do design, a MADE desponta também como plataforma de conteúdo. Para 2018, o tema definido é  Machine Art after Philip Johnson, inspirado na exposição de 1934 realizada no MoMA, Museu de Arte Moderna de Nova York, com curadoria do arquiteto Philip Johnson, que levou, em primeira mão, o design industrial para dentro de uma instituição de arte. Os objetos utilitários foram elevados ao status de escultura e promoveram uma reflexão sobre o homem e a máquina. A ação que dá nome ao evento norteia todo o quesito cenográfico da feira onde serão abordadas as novas relações entre indústria, designer e consumo. O tema se atualiza frente às transformações culturais e questiona como aliar criação e industrialização para manter o design relevante.

Os talks acontecerão no Centro Cultural Bradesco Private Bank e entre os palestrantes já confirmados estão o austríaco Robert Stadler, eleito designer do ano pela MADE –  curador de uma das instalações mais visitadas da semana de design de Milão deste ano, a a Typecasting desenvolvida especialmente para a marca Vitra; Hilary Lewis,  Curadora-Chefe e Diretora Criativa da Fundação Glass House; e o designer russo Sergei Streltsov, reconhecido pelo trabalho frente grandes marcas como BMW, Jaguar, Adidas, Samsumg, entre outras. A arquitetura do espaço, cuja criação seguiu conceitos paramétricos,  é formado por uma espiral escalonada, pintura degradê em tons de vermelho que marca a arquitetura do local e que, ao longo da semana, será preenchida com desenhos digitais criados por robôs desenvolvidos e fabricados especialmente para a MADE. Essa performance digital contará com a participação direta do público que visitar a Bienal.

A curadoria de conteúdo do evento, assim como a seleção dos expositores, é feita pelos sócios da MADE  Waldick Jatobá e Bruno Simões. A organização conta, ainda, com conselho consultivo participativo composto por Claudia M. Salles – designer e arquiteta, fundadora do Estudio CMS; Marcio Kogan – arquiteto fundador do studio mk27; Corinna Sagesser – empresária; Maurício Eugênio – publicitário; e Jorn Konijn – curador, consultor de design holandês e fundador da empresa This must be the Place.

Uma novidade desta edição será a Gastro MADE, espaço dedicado as marcas de gastronomia que valorizam a produção artesanal. Com curadoria da jornalista Beta Germano, estarão reunidos cerca de 20 expositores que apresentarão o que há de melhor em seus cardápios para apreciação dos vistantes da feira.

 

Sobre a MADE – Mercado.Arte.Design

O evento surgiu em 2013, nos moldes de uma feira internacional de design high-end e de coleção, realizada anualmente na capital paulista. Em abril de 2015, o projeto MADE estreou internacionalmente com a edição “MADE a Milano”, uma exposição de designers contemporâneos brasileiros realizada em paralelo à maior feira de design do mundo na cidade de Milão, na Itália. Em solo nacional, ganhou força ao ser realizada ano passado no Pavilhão da Bienal, um dos marcos arquitetônicos de São Paulo. Para 2018, são esperados mais de 10 mil visitantes.

 

 

X
X