Notícias

Incorporadora lidera campanha de arrecadação de fundos para a comunidade de maior risco social de Santa Catarina

Por abril 9, 2020 Sem comentários

A comunidade Frei Damião, em Palhoça, é considerada a de maior risco social de Santa Catarina. Segundo dados do último Censo do IBGE, mais de 5 mil pessoas vivem no local e sentem os impactos do isolamento social devido ao coronavírus.

Em muitas famílias, crianças e adolescentes dependiam do alimento servido em escolas e projetos sociais. Sem estes serviços, suspensos para prevenir a proliferação do vírus, em muitas casas a alimentação não é suficiente. Além disso, a renda de muitas famílias provém de trabalhos informais e autônomos. Para garantir o acesso da comunidade a alimentos, itens de higiene e de limpeza durante este período, acaba de ser lançado o Fundo de Apoio às Famílias da Comunidade Frei Damião.

Liderado pelo Grupo Pedra Branca, pela Associação Comercial e Industrial de Palhoça e pela Associação de Moradores da Pedra Branca, o fundo foi criado em parceria com o Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (ICOM), responsável pela gestão e apoio técnico.

A campanha funcionará da seguinte forma: a cada R$ 1 doado por pessoas físicas e jurídicas, o Grupo Pedra Branca doará mais R$ 1. O valor limite da coparticipação será de R$ 200 mil, sendo R$ 100 mil em doações espontâneas ou mobilizadas pelos parceiros da iniciativa e R$ 100 mil doados pelo Grupo Pedra Branca. O fundo de apoio, porém, não terá teto de arrecadações. Portanto, mesmo após alcançar a meta de coparticipação, continuará a receber doações.

“Sempre tivemos um compromisso importante com a comunidade Frei Damião. E, nesse período no qual muitas famílias estão enfrentando ainda mais dificuldades em função das medidas restritivas para contenção da proliferação do coronavírus, precisamos agir com ainda mais força e urgência para ajudar a Frei Damião”, afirma Marcelo Gomes, presidente do Grupo Pedra Branca.

 

Sobre a campanha

A campanha prevê a arrecadação de recursos financeiros para o Fundo, que será gerido e terá o apoio técnico do ICOM. Um aporte inicial de R$ 15 mil, recursos do Fundo Social Pedra Branca, está sendo feito no Fundo de Apoio às Famílias da Frei Damião – fruto de parceria prévia entre o ICOM e o Grupo Pedra Branca.

O ICOM está mapeando iniciativas de Organizações da Sociedade Civil (OSCs), movimentos sociais e outros coletivos de interesse público que estejam realizando intervenções que contribuam para garantir o acesso das pessoas a alimentos seguros, nutritivos e suficientes, assim como itens de higiene e de limpeza, durante o período de distanciamento social na comunidade Frei Damião.

As iniciativas mapeadas são analisadas pela equipe do ICOM e pelos instituidores do Fundo. Serão selecionadas aquelas que apresentem maior alinhamento da campanha com o objetivo do proposto pelo Fundo. Por tratar-se de uma situação emergencial, as tomada de decisão será a mais rápida possível.

A doação às OSCs e movimentos sociais se dá via carta-convite. Todo o processo será realizado com total transparência e a prestação de contas dos recursos será publicada no site www.icomfloripa.org.br/blog/.

Na primeira semana da campanha do Fundo de Apoio às famílias da Frei Damião, entre os dias 3 e 9 de abril, três iniciativas foram apoiadas: o Projeto Dorcas, a Associação Evangélica Beneficente de Assistência Social (AEBAS) e o Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (CADI Palhoça). Essas iniciativas receberam recursos financeiros que totalizam R$ 36.425,00 – valor que permite o acesso à alimentação, itens de higiene e de limpeza a 240 famílias.

Sobre a Frei Damião

A comunidade é considerada a de maior risco social de Santa Catarina, com cerca de 5.500 pessoas em situação de vulnerabilidade social, de acordo com o Censo 2010 do IBGE, o que equivalia, à época, a 3,75% do total da população do município de Palhoça.

Pesquisa realizada em 2011 para subsidiar a regularização fundiária e investimentos públicos na região levantou, a pedido do ICOM e do SEBRAE, um número de 870 pessoas em trabalho informal, 426 pessoas consideradas “do lar”, 146 desempregados e 173 catadores/recicladores, além de identificar 15 imóveis comerciais/industriais/de serviços.

De acordo com pesquisa feita pelo ICOM, o bairro é caracterizado como “aglomerado subnormal” por ser fruto de ocupação ilegal da terra, por possuir urbanização fora dos padrões vigentes (refletido por vias de circulação estreitas e de alinhamento irregular, lotes de tamanhos e formas desiguais e construções não regularizadas por órgãos públicos) e pela precariedade na oferta de serviços públicos essenciais (abastecimento de água, esgotamento sanitário, coleta de lixo e fornecimento de energia elétrica). Essa situação resulta na baixa oportunidade de desenvolvimento econômico, social e comunitário, e na baixa qualidade de vida dos moradores.

Sobre o Grupo Pedra Branca

O Grupo Pedra Branca nasceu há 20 anos, a partir da idealização de um loteamento que deu origem ao premiado bairro Cidade Pedra Branca, em Palhoça, na Grande Florianópolis, referência nacional e internacional em urbanismo sustentável planejado. Ancorada no conceito de “morar, trabalhar, estudar e se divertir ao alcance de uma caminhada”, criou um bairro que integra condomínios residenciais, edifícios corporativos, lojas comerciais e espaços de lazer qualificados. Em 2013, a Pedra Branca Empreendimentos Imobiliários, Incorporadora e Construtora, formatou o Passeio Pedra Branca, o shopping a céu aberto do bairro, que reúne, atualmente, 50 operações comerciais e de serviços.

Dois anos mais tarde, o Grupo Pedra Branca deu origem a uma nova empresa, a Passeio Primavera, às margens da Rodovia SC 401, em Florianópolis, estendendo para a Ilha de Santa Catarina o conceito de shopping a céu aberto, que hoje reúne mais de 30 operações comerciais e consolida um importante polo de gastronomia e de serviços da cidade. Além da Pedra Branca Empreendimentos Imobiliários, da Passeio Pedra Branca e da Passeio Primavera, o Grupo Pedra Branca também detém a Passeio Endereços, empresa de locação que atende as operações dos Passeios e, também, aos proprietários das salas comerciais dos edifícios corporativos dos empreendimentos.

 

Como participar:

As doações podem ser feitas por meio de depósito ou transferência bancária:

Banco: 001 – Banco do Brasil
Agência: 5201-9
Conta corrente: 10918-5
Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (ICOM)
CNPJ: 07.756.988/0001-62

 

Foto: Com a suspensão temporária das aulas, famílias sofrem com a falta das refeições diárias oferecidas pelas escolas às crianças. Crédito foto: Projeto Além das Lentes / Divulgação 

X
X