Notícias

Estúdio de design paranaense participa de projeto inédito lançado pela Natuzzi Editions em Nova Iorque

O estúdio paranaense Furf Design é destaque no projeto inédito que será lançado pela italiana Natuzzi Editions na próxima semana durante a IFCC 2019, feira âncora da Semana de Design de Nova Iorque – NYCxDesign – considerada a maior vitrine norte-americana do setor de mobiliário. O evento acontece de 19 a 22 de maio, no Javis Center.

Trata-se da coleção de sofás, poltronas e mesas Natuzzi Editions Ginga by DNPa primeira coleção colaborativa da marca com o Brasil. A coleção foi desenvolvida no âmbito do programa Design na Pele (DNP), promovido pelo Brazilian Leather, projeto setorial de internacionalização do setor de couros e peles gerenciado pelo Centro das Indústrias de Curtume do Brasil em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

A iniciativa teve teor inédito e único no mundo ao promover parceria com o Projeto Raiz, desenvolvido pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e pela Apex-Brasil, que está levando 19 estúdios de design brasileiros para a IFCC.

O projeto integrou três estúdios de design brasileiros do Projeto Raiz – estudiobola, Furf Design e Lattoog Design, três curtumes tradicionais – Luiz Fuga, Gobba Leather e Indústria de Peles Minuano, à marca global de móveis em couro Natuzzi Editions, Itália, para criação da coleção. O resultado são peças inovadoras que demostram a combinação valorosa entre o design e o couro, e estabelecem o material como importante revestimento para a indústria moveleira.  

Desafio de projeto

A Furf Design desenvolveu a poltrona Monroe, com a qualidade da indústria italiana “e uma boa pitada de bossa”, como destacam os sócios da empresa, os designers Rodrigo Brenner e Mauricio Noronha. “Estamos muito felizes. Sempre foi um sonho desenhar para uma empresa como a Natuzzi. Foi o projeto mais desafiador que assumimos, em termos de limitações técnicas e de adaptação ao sistema de produção deles”, afirma Rodrigo. Afinal, era preciso adequar o projeto à escala mundial que o produto terá, considerando os 1.500 pontos de venda da Natuzzi em diversos países.

Enquanto a equipe do estúdio está acostumada a desenvolver um projeto entre três meses e um ano, para este projeto o prazo foi de apenas duas semanas. “Tivemos que repensar bastante coisa no escritório em termos de metodologia para atender esse prazo. A Natuzzi é uma muito profissional e tem respeito gigantesco com o designer. Eles sabem fazer o que fazem muito bem e prototiparam a poltrona em menos de uma semana”, conta Rodrigo.

A Monroe foi desenvolvida para ter uma linguagem global. Contudo, é carregada de personalidade, considerando as opções de cores.  “Se muda a cor, ela muda completamente de cara. A preta é mais robusta, mais clássica; a laranja vira uma joia no meio da sala; e a branca é mais romântica”, explica. Rodrigo ressalta que, assim como outros projetos do estúdio, eles procuraram imprimir ‘poesia’ na peça. “É como se estivéssemos distribuindo uma pequena poesia em milhares de casas em todo o mundo. Esse é o nosso objetivo: deixar o espaço um pouco mais romântico, mais bonito, no sentido mais profundo da palavra”, diz.

 

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X