Eventos

Debate sobre Arquitetura Social, premiação de estudantes e homenagens no quinto encontro anual do CAU/SC

Por dezembro 12, 2017 Sem comentários

O 5º Encontro Anual do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC) integrou uma programação variada este ano, em evento realizado no auditório da reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, no dia 8 de dezembro.

O ponto alto foi a entrega das medalhas de “Honra ao Mérito em Arquitetura e Urbanismo”, organizada pelo Colegiado das Entidades de Arquitetos e Urbanistas de Santa Catarina (CEAU – CAU/SC). As indicações foram feitas pela sociedade civil.

Na categoria Contribuição Profissional, o arquiteto Yamandú Carlevaro foi homenageado. Em seu discurso, ele dedicou a premiação para o arquiteto Günther Schlieper que lhe concedeu a primeira oportunidade profissional no Brasil.

Na categoria Contribuição Honorífica, o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina foi escolhido. O coordenador Paulo Rizzo foi quem apresentou o histórico do curso, o primeiro de Santa Catarina, com 40 anos de existência. O pró-reitor de pesquisa, Sebastião Roberto Soares representou a UFSC na entrega da premiação e chamou o coordenador Paulo Rizzo para receberem, juntos, a honraria.

Por fim, foi entregue a homenagem post-mortem ao arquiteto e urbanista Hans Broos, recebida pelo arquiteto e urbanista e ex-colega de trabalho Bernardo Brasil. Ele apresentou a trajetória do homenageado e finalizou a noite com o emocionante discurso escrito por Hans Broos para outra premiação. De acordo com Bernardo, essa foi sua forma de “passar a palavra para Hans Broos”. No discurso reproduzido por Bernardo Brasil, Hans Broos citava sua chegada ao Brasil e o amadurecimento profissional que o país representou em sua trajetória.

Conheça os homenageados:

Arq. Urb. Yamandú Jorge Carlevaro
Com trajetória de destaque no âmbito profissional e docente, contribuiu de forma grandiosa à Arquitetura Catarinense em projetos de relevância pública como a Rodoviária de Florianópolis, as escolas técnicas de São José e Itajaí, o Hospital de São Joaquim, o Plano Diretor Urbano de Palhoça, dentre outros, além atuação no exterior. Destaca-se também a participação ativa no IAB-SC, defendendo os concursos de Arquitetura e sua legislação como instrumentos importantes para a valorização profissional.

Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina
Implementado em 1977, foi o primeiro curso de arquitetura e urbanismo em Santa Catarina. Em seus 40 anos de existência, foi pioneiro em formar, divulgar e promover as atividades profissionais no estado e também em todo o Brasil. O segundo curso de arquitetura e urbanismo somente surgiu no ano de 1992, na cidade de Blumenau, portanto, a UFSC durante 15 anos foi a única instituição no estado a ofertar essa formação. Centenas de profissionais passaram pelo curso, seja na graduação ou pós-graduação, agregando importantes premiações para a instituição. O curso também se destaca no campo da pesquisa e da extensão, com trabalhos voltados para comunidades carentes, elevando a qualidade de vida dessas populações. O curso possui oito laboratórios e dez grupos de pesquisa que dão suporte às atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Arq. Urb. Hans Broos (in memoriam)
Nascido em Gross-Lomnitz, atualmente território eslovaco, em 10 de outubro de 1921, teve os primeiros contatos com desenho por meio do pai, mestre de marceneiro. Iniciou a faculdade de arquitetura na Universidade de Praga – Checoslováquia, mas se mudou para Braunschweig (Brunswick – inglês) – Alemanha, quando a II Guerra Mundial começou. Formou-se engenheiro-arquiteto na Universidade Técnica de Braunschweig, em 1948. Nesta mesma universidade é nomeado assistente do Professor Friedrich Wilhelm Kräemer, na cátedra de Grandes Composições. Neste período, Sr. Broos participa da elaboração de projetos culturais, industriais, públicos voltados para o Urbanismo, mais especificamente em obras de reconstrução de prédios históricos e praças na cidade de Braunschweig.

Arquitetura Social

Durante a tarde, antes das homenagens, o evento contou com um debate sobre Arquitetura Social, com palestras dos arquitetos Mario Biselli e Maria Teresa Diniz.

O arquiteto e urbanista Mario Biselli apresentou projetos de destaque do seu escritório, Biselli & Katchborian, como as propostas para o Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos e para o terminal de passageiros do Aeroporto de Florianópoli, e o projeto para o Centro Educacional Unificado de Guarulhos, com o qual conquistou o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Artes (APCA), na categoria Melhor Obra construída em São Paulo. Localizado em uma região carente da cidade, o projeto também levou Biselli a expor na Mostra Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, Itália. Para ele, fazer arquitetura e urbanismo no Brasil tem seus privilégios, uma vez que as condições climáticas e geográficas permitem experimentações e exime os profissionais da área de certas preocupações com desastres naturais.

Em seguida, Maria Teresa Diniz iniciou sua apresentação com o tema “Empatia Urbana”. De acordo com a arquiteta e urbanista, a profissão que escolheu parte do princípio de se colocar no lugar do outro e compreender suas necessidades cotidianas. Para ela, é preciso atentar para a qualidade e diversidade da arquitetura e do urbanismo espalhada pelo Brasil, valorizando boas ideias e defendendo a descentralização da profissão.

A palestrante também falou sobre o trabalho desenvolvido na Secretaria Municipal de Habitação de São Paulo, apresentando os dados de mapeamento da cidade. A arquiteta enfatizou a necessidade de estudar as condições locais e elencar prioridades na execução da arquitetura social. Para ela, é indispensável respeitar as particularidades locais para aplicação eficiente da habitação de interesse social. De acordo com a arquiteta, um dos grandes problemas enfrentados nessa área, é a falsa ideia de implementação de projetos padrões para diferentes lugares do país. Maria Teresa Diniz também comparou os investimentos em habitação na cidade de São Paulo entre 2009 e 2017 e atentou para o fato de que têm se investido cada vez menos na área. Ela apresentou soluções em urbanismo presentes no mundo inteiro, com projeto e execução simples. “Tornar a cidade habitável e agradável não custa caro e não é trabalhoso, contando com a boa vontade de todos os agentes envolvidos”, disse ela.

CAU/SC em 2017

O Conselho também apresentou suas principais ações no ano de 2017. A arquiteta e urbanista e assessora da curadoria do Congresso Itinerante do CAU/SC, Fernanda Menezes, apresentou o andamento dos projetos patrocinados pelo Conselho. Foram apoiadas iniciativas prototipadas nas mesorregiões do estado, durante o Congresso em 2016.

Em seguida, a arquiteta e urbanista e coordenadora adjunta da Comissão Temporária de Assistência Técnica – CTEC, Cibele Lorenzi, apresentou o PEI-ATHIS – Plano Estratégico de Implementação de Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social. Cibele apresentou a problemática da situação em Santa Catarina e em todo o Brasil, explicando a escolha do CAU/SC ao optar pelo Plano para Implementação de ATHIS. De acordo com a arquiteta e urbanista, compreender o papel de todos os agentes envolvidos nesse processo, proporcionará a construção coletiva de soluções mais eficientes.

A arquiteta e urbanista Karla Moroso também participou dessa conversa, representando a empresa Arquitetura Humana – AH, executora do Plano Estratégico proposto pelo CAU/SC, cujo planejamento foi iniciado em outubro. A arquiteta enfatizou a fase de diagnóstico, realizada atualmente por meio de Oficinas Regionais em todo o estado.

Ao fim das palestras, os convidados responderam questões do público por meio das quais foi novamente ressaltada a necessidade de discussão do papel de todos os agentes envolvidos na arquitetura social: comunidade, poder público e profissionais da área.

 

Premiação TCCs

Durante o 5º Encontro Anual de Arquitetos e Urbanistas do CAU/SC, foram premiados os oito trabalhos selecionados pelo 5º Prêmio TCC. Estiveram na solenidade, 6 dos 8 premiados, e seus orientadores. Em sua quinta edição, o Prêmio TCC contou com a participação de 20 instituições de ensino e 33 trabalhos enviados.

Clique aqui e conheça os trabalhos.

Confira os premiados:

1º Lugar
Autora: Giulia Aikawa Da Silveira Andrade – Universidade Federal De Santa Catarina (Orientador: Rodrigo Almeida Bastos)
Trabalho: VILA ITORORÓ: REABITAR A CIDADE

2º Lugar
Autora: Luana Cristina Steffens – Centro Universitário Católica de Santa Catarina (Orientador: Claudio Santos Da Silva)
Título do Trabalho: ABRIGO EMERGENCIAL TEMPORÁRIO: uma possibilidade para desabrigados vítimas de desastres no Estado de Santa Catarina
3º Lugar
Autora: Amanda Rodrigues Reste – Universidade Federal de Santa Catarina (Orientador: Américo Ishida)
Título do Trabalho: Arquitetura no processo pedagógico: Escola rural no assentamento Eli Vive – Londrina/PR

Menções Honrosas

Autora: Bettina Luiza Santos – Universidade Do Vale Do Itajaí – Univali (Orientador: Stavros Wrobel Abib)
Título do Trabalho: ARTICULAÇÕES URBANAS CONTEMPORÂNEAS: PALIMPSESTO ENQUANTO ESTRATÉGIA PROJETUAL NA TRANSIÇÃO PÓS INDUSTRIAL

Autora: Luiza Bedin – FAEM – Faculdade Empresarial De Chapecó (Orientadora: Adriana Diniz Baldissera)
Título do Trabalho: DIRETRIZES PARA REVITALIZAÇÃO URBANA DE SEARA SC

Autora: Sabrina Kamphorst Vieira – Uniesp – Faculdade Barddal De Artes Aplicadas (Orientadora: Manuela L. Nappi)
Título do Trabalho: CADI – CENTRO ASSISTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTO-JUVENIL Comunidade Chico Mendes, Florianópolis, SC

Autora: Samara Regina De Matos – Universidade Federal De Santa Catarina (Orientador: Samuel Steiner dos Santos)
Título do Trabalho: Integrando o Rio Cubatão à cidade de Santo Amaro da Imperatriz

Autor: Umberto Violatto Sampaio – Universidade Federal De Santa Catarina (Orientadora: Maria Inês Sugai)
Título do Trabalho: Habitação e Direito à Cidade no Alto da Caeira

Fonte: CAU/SC