Eventos

Cris Passing apresenta um espaço sustentável e nada efêmero na CASACOR em Florianópolis

Por novembro 12, 2018 Sem comentários

A ‘Casa Grigio’ continuará viva após a CASACOR Santa Catarina em Florianópolis. A edificação projetada pela arquiteta Cris Passing para esta edição da mostra será completamente reconstruída. Erguida na área externa do imóvel sede do evento, a casa será transportada na íntegra para um terreno na Grande Florianópolis para servir de casa de veraneio.

Com 130 metros quadrados de área, a Casa Grigio (cinza, em italiano) é composta por hall, área social com cozinha gourmet, suíte com closet e banheiro e varanda. O aproveitamento total foi possível porque a arquiteta Cris Passing, em parceria com o engenheiro Giovane Marangoni, adotou um sistema construtivo a seco, com soluções que reduzem ao máximo o desperdício de materiais, são facilmente montadas e desmontadas e são mais econômicas. A estrutura foi erguida em wood frame, com paredes predominantemente em vidro e, algumas, em placas cimentícias Nextera, nova marca da Brasilit, empresa do grupo Saint-Gobain. As placas podem ser utilizadas para a construção de casas de até dois pavimentos e para o revestimento de fachadas de até 90 metros. Na cobertura, foram utilizadas telhas Shingle, também da Brasilit.

A partir dessas escolhas, a dupla conquistou uma impressionante redução de desperdício de materiais: apenas 5%, contra 30% tradicionalmente registrado nas construções convencionais. O custo total também foi reduzido. A Casa Grigio apresentou um custo final 25% inferior a uma edificação de igual padrão e ficou pronta em apenas 40 dias úteis de trabalho.

“A técnica é adaptável a qualquer estilo. Optei por uma casa mais urbana, mais contemporânea e longeva, com um design limpo que sobrevive ao tempo. Gosto de projetos que permitem uma convivência de muitos anos sem cansar”, explica Cris Passing. Toda a madeira utilizada na construção é de reflorestamento e o mobiliário foi escolhido dentre fornecedores que têm selo de sustentabilidade e compromisso com matéria-prima e processos produtivos que respeitam o meio ambiente. A prevalência da iluminação natural é outra escolha que contribui para o bom desempenho da edificação, assim como a opção de iluminação artificial toda em LED.

Importante destacar que a espessura das paredes e das vigas e pilares que formam a estrutura da Casa Grigio foi dimensionada em conformidade com as normas do Canadá, já que o woodframe ainda não possui regulamentação no Brasil. Em relação às placas cimentícias, Cris preferiu o acabamento no padrão ‘cimento queimado’, em sintonia com a proposta contemporânea adotada. Porém, ela destaca que este sistema construtivo permite a utilização de qualquer tipo de acabamento e revestimento. A decisão foi acertada, para valorizar a exuberante vegetação do entorno. Daí, a ousadia de apresentar um banheiro completamente envidraçado – bloqueando visualmente apenas a área dos vasos sanitários. Nesse ambiente, o teto também é de vidro e foi coberto pelos galhos de uma árvore e por uma persiana quase transparente, que exerce apenas a função de filtro do excesso de luz e calor. “Mais natural, impossível!”, brinca a criadora.

Arquitetura de Interiores

Os ambientes expressam bem o apreço da arquiteta pela linguagem contemporânea, por materiais nobres e por peças de design. No hall, destaque para o aparador idealizado por Cris Passing a partir da inversão da posição de toras de madeira utilizadas como base de mesas. A execução é da Raízes Sustentáveis, loja local, sediada no bairro Santo Antônio de Lisboa.

Na área social, o amplo living exibe mobiliário criteriosamente selecionado, com prevalência de peças de Jader Almeira, entre namoradeiras, cadeiras, poltronas e luminárias. Há também peças assinadas por Rejane Carvalho Leite, Adonini & Siminini, Daniela Ferro, Mila Rodrigues e Paulo Alves. O protagonista, no entanto, é o piano de cauda automatizado Yamaha  – uma tradição familiar da arquiteta –  que reproduz automaticamente o repertório selecionado por ela para o evento.

A cozinha gourmet apresenta bancada em Orix da Dekton, em tons de cinza, azul e verde, com mobiliário da catarinense Cunha Brasil e uma grande adega da linha sommelier da Art des Caves. No dormitório, o closet totalmente envidraçado atrai os olhares, assim como a cama e o criado-mudo, lançamentos da Masotti. Na parede oposta, destaque para a obra do fotógrafo paulistano Gabriel Wickbold.

Reconhecimento

O inovador projeto de Cris Passing mereceu reconhecimento na mostra. Na entrega do Prêmio CASACOR SC, no último domingo (11), a Casa Grigio recebeu três dos 14 troféus: ‘Melhor Ambiente’, eleito pelos demais expositores da mostra; ‘Destaque em Design – Desenhos preciosos do Mercado’, pelo júri técnico;  e ‘Melhor Parceiro Comercial’, escolhido pela organização da CASACOR SC. “Quando saiu o primeiro prêmio foi uma explosão de alegria!! No segundo, um susto… nem processei o primeiro e já estava sendo chamada novamente. O terceiro, bom, fiquei anestesiada; não conseguia entender o que estava acontecendo. Senti um misto de felicidade, surpresa, gratidão e honra!  A mostra está linda, com profissionais que admiro, e ter esse destaque e, além disso, ter nosso espaço indicado por essa turma competente para o prêmio de Melhor Ambiente… foi o melhor de tudo!”, comemora Cris Passing.

A arquiteta conta que, nesta edição da mostra, desejava apresentar ao mercado que, quando a casa e os espaços internos são planejados ao mesmo tempo, integrando interior e exterior, o resultado é muito melhor. “Podemos criar sensações de bem-estar e esses projetos se fundem em um só. Eu queria apresentar um espaço para ser sentido, e não explicado. Claro, tem muita pesquisa, conceito e estudo, mas o impacto de chegar, visitar e sentir deveria falar por si só”, acrescenta.

A CASACOR SC Florianópolis segue até o dia 25 de novembro, ocupando um casarão na rua Caminho dos Açores, 1410, no bairro Santo Antônio de Lisboa.

Fotos: Mariana Boro | Divulgação

X
X