Notícias

Cenografias contemporâneas: as ‘geometrias afetivas’ do designer Sandro Clemes

No próximo dia 11 de maio, estreia, em Florianópolis, o espetáculo teatral Ilusões, uma produção que marca a celebração dos 10 anos da  La Vaca Companhia de Artes de Cênicas. Mais do que isso: a montagem, a partir do texto autor russo Ivan Viripaev, representa um ponto de virada da companhia, “uma mudança de rota em termos dramatúrgicos”, como eles próprios definem a nova fase. A direção é do curitibano Fábio Salvatti, novo parceiro da La Vaca, que passa a explorar novas formas de linguagem. Nesse momento tão expressivo e carregado de significados, a cenografia do espetáculo assume papel relevante, contribuindo para a percepção técnica e, também, para provocar sensações sobre a peça, que trata da memória, do tempo, da resistência e da permanência.

“Para um texto repleto de reflexões sobre o amor e o tempo, criei elementos  cênicos que têm a geometria do quadrado como referência formal. Os quatro vértices do quadrado aludem os quatro personagens do texto, os quatro atores em cena e os embates entre razão e natureza”, explica o designer de interiores Sandro Clemes, autor do projeto de cenografia do espetáculo. Os objetos do cenário são versáteis e componíveis. “A partir da proposta da direção de  produzir o desenho de luz através dos elementos cênicos, sem recorrer a qualquer  infraestrutura ou  equipamento de palco preexistentes, desenhei bancos-refletores que assumem diferentes funções ao longo da encenação. Essa premissa conceitual me trouxe a experiência nova de projetar e executar a cenografia inteiramente antes do período de ensaios, para que as ações dramáticas fossem desenvolvidas a partir desses objetos”, detalha. Há 15 anos no mercado de design de interiores, Sandro atua no segmento de cenografia de espetáculos desde 2011, quando começou a atender a La Vaca Companhia de Artes de Cênicas.  O espetáculo Ilusões estará em cartaz no SESC da Prainha, em Florianópolis, de 11 a 13 e de 25 a 27 de maio.

Outra produção de Sandro que poderá ser conferida nos palcos catarinenses, é a do espetáculo Frankenstein – novo projeto de ópera da Camerata Florianópolis, uma das principais sinfônicas do estado, com estreia prevista para o mês de junho, na capital. Com texto e música originais de Alberto Heller, e baseado na obra homônima da escritora inglesa Mary Shelley,  o espetáculo é grandioso e conta com mais de 50 pessoas no elenco, entre instrumentistas, cantores e bailarinos. “A proposta de cenografia cria ambientações que mesclam elementos hospitalares e industriais, em clima gótico. Estruturas esculturais simples e impactantes remetem às obra dos construtivistas russos Vladimir Tatlin, Naum Gabo e Antoine Prevsner, e corroboram o objetivo de atualizar a estética operística preservando sua força dramática”, explica o designer de interiores sobre o seu primeiro trabalho para a Camerata Florianópolis.

 

X
X