fbpx
Notícias

Associação das indústrias de tapetes e carpetes cria câmara técnica para normatizar a cadeia produtiva do setor

Por agosto 7, 2020 Sem comentários

Unir a cadeia produtiva e facilitar a troca de informações entre os representantes de um setor, que gera mais de 4 mil empregos diretos e contabiliza faturamento acima de R$ 1 bilhão por ano, é a principal tarefa da nova câmara que acaba de ser criada pela Associação Brasileira das Indústrias de Tapetes e Carpetes (Abritac). O time é composto por profissionais de diferentes pilares do setor, incluindo escritórios de engenharia e arquitetura. Além de debater e compartilhar conhecimentos, a Câmara produzirá um guia de melhores práticas para a correta manutenção dos revestimentos de pisos corporativos e residenciais.

A pandemia do novo coronavírus estimulou a disseminação de informações falsas, com ataques intensos aos revestimentos têxteis, causando uma visão distorcida dos produtos, de acordo com Guilherme Dionizio Gomes Filho, presidente da ABRITAC. “Por esse motivo, decidimos compartilhar estudos e pesquisas com parceiros, clientes e usuários, bem como criar um benchmark a partir das experiências relatadas pelos integrantes da Câmara”, argumenta.

O objetivo final é fornecer informações claras e transparentes aos usuários sobre as características e benefícios de tapetes, carpetes e capachos, desde que corretamente mantidos, com dados cientificamente comprovados. Vamos consolidar o conhecimento, trazido por membros de todos os pilares do setor. Este conteúdo vai balizar práticas, processos e treinamentos específicos. Serão contemplados inclusive vendedores e especificadores, com estratégias de apoio aos ciclos de pré e pós-venda”, explica Gomes. A ação deverá implementar, em médio prazo, uma nova cultura no setor, com claros critérios práticos, teóricos e analíticos.

A Câmara Técnica de Revestimentos de Pisos Corporativos e Residenciais da ABRITAC já está formalizada e os trabalhos já foram iniciados. A previsão é que os primeiros resultados práticos comecem a ser divulgados a partir dos próximos 30 dias

Importância da especificação adequada

Tapetes, carpetes e capachos possuem características de proteção, isolamento térmico e, também, de conforto acústico, principalmente nos ambientes corporativos, por onde circulam centenas e até milhares de pessoas, diariamente.

É o que explica Camila Nagay, arquiteta e Green Building Specialist da Athie Wohnrath, uma das participantes da Câmara. Segundo ela, os arquitetos estão entre os principais especificadores de revestimentos de pisos e levam em conta, desde materiais e formas de instalação e manutenção, até a flexibilidade necessária para recortes de tomadas e passagem de fiação. Ela conta que a interface com o consumidor final ajuda a entender demandas nos quesitos manutenção e cuidados com tapetes, carpetes e capachos. Para Camila, a contribuição da Athie Wohnrath, na Câmara, terá viés técnico, auxiliando a identificar o que pode vir a ser melhorado e aprimorado, do ponto de vista arquitetônico e sob a ótica dos clientes.

A iniciativa ainda conta com a participação de fabricantes de revestimentos têxteis, empresas de manutenção e limpeza, de ar condicionado, representantes do segmento de facilities, e especialistas em controle da qualidade ambiental interna. A expectativa é ganhar a confiança do consumidor e fortalecer a imagem dos produtos – carpete, tapete e capachos – comprovando que são “saudáveis e amigáveis” para ambientes comerciais e residenciais, desde que bem especificados e com manutenção profissional de qualidade.

Manutenção e higienização

De acordo com Camila Nagay, um dos gargalos no uso de tapetes, carpetes e capachos é o binômio manutenção e limpeza, pois revestimentos de piso malcuidados podem provocar a proliferação de microrganismos que contaminam o ambiente e prejudicam a qualidade do ar interno.

A presidência da ABRITAC convidou um dos laboratórios referência em análise ambiental – Conforlab – para contribuir com informações relevantes e validar com análises os métodos de higienização de tapetes, carpetes e capachos que serão propostos no Guia que será produzido pela Câmara.

Engenheiro civil e diretor da Conforlab, Leonardo Cozac, alerta para a importância da qualidade do ar na segurança do trabalho e relata que, embora a análise da qualidade do ar de ambientes seja lei federal e fiscalizada pela Vigilância Sanitária, o Brasil não tem uma norma definida para verificação da eficiência na manutenção de tapetes, carpetes e capachos. Na falta de uma padronização nacional, a Conforlab irá utilizar diretrizes de entidades internacionais relacionadas ao tema.

Cozac será o “braço técnico” na composição da Câmara. “A Conforlab vai ajudar a escrever normas técnicas e estabelecer padrões para verificar a eficiência nos processos de higienização e manutenção”, diz. A Conforlab é pioneira na CGCRE – Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro para NBR ISO/ IEC 17.025 para análise do ar climatizado, conforme regulamentação da ANVISA.

Para completar o grupo, foi convidada a ABRAFAC – Associação Brasileira de Facilities, para atuar como facilitadora com a comunidade de facilities, disseminando a informação para o segmento diretamente ligado a manutenção de têxteis no âmbito corporativo.

 

Dados do setor

A Abritac, por meio de seus associados fabricantes, atende cerca de 10 mil lojistas no Brasil, representando um mercado que comercializa anualmente:

  • 3,2 milhões de metros quadrados de carpetes,
  • 12 milhões de metros quadrados de tapetes e capachos;
  • 8,8 milhões de metros quadrados de forrações multiuso;
  • 8,1 milhões de metros quadrados de Pisos Vinílicos.

Fundada em maio de 1995, a Abritac representa o segmento têxtil que reúne 60 empresas de pequeno, médio e grande porte, instaladas em diversas regiões do País. A entidade é parceira da ABIT, a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, uma das mais importantes entidades dentre os setores econômicos brasileiros.

 

Foto: Divulgação Athie Wohnrath

X
X