Notícias

As possibilidades do paisagismo em ambientes internos

Por outubro 21, 2019 Sem comentários

Sob o tema Planeta Casa, a CASACOR apresentou este ano uma variedade de possibilidades de incorporação da vegetação nos espaços. Muitos profissionais participantes das edições da mostra demonstraram, em seus ambientes, como é possível ir além e elaborar um minucioso projeto de paisagismo para ambientes internos. Na edição de Florianópolis, que acontece até o dia 27 de outubro, um dos destaques é o espaço desenvolvido pelo engenheiro agrônomo Cláudio Saladini Vieira e pela arquiteta Letícia Vieira, do Grupo Le Nôtre Paisagismo, o Jardim das Lendas.

Com 248 metros quadrados, o ambiente, planejado como uma garagem, recebeu um jardim interno com mais de  1.500 mudas de plantas tropicais, como uma pequena “Mata Atlântica”. “Nós acreditamos que a natureza pode coexistir de modo equilibrado em meio à funcionalidade dos interiores no mundo contemporâneo”, afirma Claudio Saladini, que também trabalhou na execução do projeto de arquitetura paisagística de Benedito Abud no empreendimento Cidade Milano, sede da mostra, e para o Pátio Milano, espaço assinado pelo escritório Marchetti Bonetti no mall do prédio.

 

Fotos: Divulgação Grupo Le Nôtre

 

O arquiteto Rodrigo Gheller, do escritório Terraço Paisagismo, levou o conceito Urban Jungle para a mostra, no ambiente “Pizza para Todos“, projetado pelas arquitetas Sandra Coral e Julia Zanette, do Studio Catarina.  Ele destaca que o desafio foi inserir diferentes espécies de plantas resistentes a pouca iluminação e ao ar condicionado ao ambiente. “O Studio Catarina trabalhou a estrutura original do prédio e priorizou cores como cinza, verde e madeira. Meu trabalho foi acrescentar o terracota presente nos vasos de barro e as folhagens. Combinação que resultou em um ambiente aconchegante e vivo”, explica.

O arquiteto ressalta, que o conceito Urban Jungle é trazer a conexão das pessoas que moram nos centros urbanos com a natureza, incentivado o estilo de vida eco sustentável. “Nosso propósito é sensibilizar as pessoas que moram em apartamentos, que é possível ter um jardim dentro de casa e que isso pode trazer inúmeros benefícios para o seu dia a dia. Ter verde por perto faz bem para a alma e também para o corpo: acalma, aumenta a sensação de bem-estar”, diz Rodrigo.

 

Fotos: Divulgação Terraço Paisagismo

 

No espaço Living Paradise, assinado pela arquiteta e paisagista Yael Gossis e pela designer de interiores Marisa Lebarbenchon, o paisagismo interno é o ponto alto do projeto, explorado em diversas possibilidades. “Queríamos trazer a natureza para dentro de casa de uma forma prática. Apostamos na ‘vegetação preservada’, que não precisa de rega e nem manutenção e apresenta um efeito muito natural”, explica a arquiteta Yael, pós-graduada em Paisagismo. Os jardins verticais preservados são criados com plantas naturais que passam por um processo de conservação que mantém folhagem, textura e integridade das plantas.

Dentre as vegetações propostas por Yael no projeto de paisagismo do espaço, está o musgo moss, de origem escandinávia. Essa vegetação cresce na superfície do solo descampado ou no cascalho na natureza selvagem, e requer cuidados especiais no cultivo para se fortalecer de forma saudável: o solo só pode ser usado em intervalos de cinco a dez anos e é preciso respeitar o tempo de descanso da planta. O trabalho de colheita segue uma antiga tradição da região: após serem colhidos a mão, os musgos passam pelo processo de preservação e, por último, pelo tingimento, recebendo uma variedade de cores, entre tons de verde, laranja, marrom, entre outras cores.

Com formato redondo e multidimensional, essa vegetação preservada tornou-se tendência na Europa e na América do Norte na decoração de ambientes internos pela resistência, variedade, durabilidade e facilidade de instalação e de manutenção, por dispensar irrigação. Além disso, contribui para reduzir a umidade no ambiente e para o isolamento acústico. É a opção recomendada para ambientes com pouca iluminação natural.

 

Fotos: Lio Simas/ Divulgação CASACOR SC 

 

Dicas para um jardim exuberante em ambiente interno

O engenheiro agrônomo Cláudio Saladini Vieira dá as principais dicas para um jardim exuberante e com durabilidade num ambiente interno. Confira:

“Primeiramente, deve-se montar o canteiro, que deve ter uma boa impermeabilização, considerando um jardim sobre laje. Depois da impermeabilização, vem um cálculo de drenagem, o qual deve ser feito de acordo com a profundidade do canteiro. São aplicados elementos de tecnologia de drenagem.
Formulação do solo para cada tipo de vegetação, com as quantidades adequadas de matéria orgânica, areia, argila, adubação adequada. Deve haver um substrato no solo, de boa qualidade, que tenha boa permeabilidade também para não empossar água, porque pode dar problema de vazamento.
A especificação da vegetação é muito importante. O grande erro dos paisagistas é especificar de forma errada. É preciso estudar porque existem o clima e o microclima. O clima é geral, mas o microclima é aquela pequena situação climática, que tem em cada pontinha do jardim. Fazemos este estudo com muito cuidado, separadamente: iluminação, circulação de vento, umidade (se pega chuva, ou sol).
Um bom sistema de irrigação para dar água às plantas na medida certa. Isto é o básico, o padrão de um bom jardim interno. Se você tem uma casa, com um solo, não precisa se preocupar com impermeabilização, mas deve se preocupar bastante com a parte de drenagem. Muitas pessoas não sabem, mas as plantas respiram também pelas raízes, não só pelas folhas. Então, deve haver bastante oxigenação para esta planta não sofrer estresse algum”.

 

 

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X