Eventos

Arquitetura de Interiores: Academia X Mercado é tema de evento em Porto Alegre

Por agosto 14, 2019 Sem comentários

Como a Arquitetura de Interiores está inserida nas grades curriculares das faculdades de Arquitetura? Há diferença em ter disciplina específica? A atividade de Arquitetura de Interiores apresentou crescimento de 6,10% no ano passado no país, de acordo com o Anuário de Arquitetura 2019 do CAU/BR. Será que a formação acadêmica acompanha a prática crescente no mercado?

Estas são algumas questões que irão nortear os debates no evento “Arquitetura de Interiores: Academia X Mercado”, que será realizado pela AAI Brasil/RS no próximo dia 22 de agosto, das 9h às 11h, na loja Artezan Tapetes, localizada na Av. Nilo Peçanha, 1.288, em Porto Alegre (RS). O evento é promovido pela AAI Digital, revista eletrônica da entidade, iniciativa da AAI Brasil/RS, e conta com o patrocínio do CAU/RS. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 19 de agosto, pelo e-mail secretaria@aaibrasilrs.com.br

O bate-papo será conduzido pela arquiteta e urbanista Marta Peixoto, Mestra e Doutora em Teoria História e Crítica, professora do departamento de Arquitetura da UFRGS e do Programa de Pós-graduação em Arquitetura Propar-UFRGS, do qual é a atual coordenadora. “Hoje em dia, há um pouco mais sobre Arquitetura de Interiores nas faculdades se compararmos com dez anos atrás”, avalia Marta, pioneira e incentivadora do ensino de Arquitetura de Interiores no Rio Grande do Sul. “Em 2006, quando ingressei como professora na UFRGS, comecei a ministrar uma disciplina opcional de Arquitetura de Interiores. Quatro anos mais tarde, esse conteúdo passou para uma disciplina regular de Projeto, que dou até hoje, o Projeto 4, com carga horária normal, de dez horas semanais”, complementa. Marta também conduz uma disciplina opcional de Arquitetura de Interiores na UFRGS, a qual oferece conteúdo mais aprofundado sobre a atividade.

De acordo com Marta, a Arquitetura de Interiores é tema presente nas grades curriculares nas demais instituições de ensino de Arquitetura no estado; porém, ainda como uma disciplina de menor carga horária. “O assunto aparece nos currículos, mas poderia aparecer mais, como um Projeto com enfoque mais específico, por exemplo, como eu consegui fazer na UFRGS”, reforça. Para ela, a formação complementar pode trazer avanços para a qualidade da prática no mercado. “Na medida em que estudamos mais sobre algo, em tese, a prática sempre melhora, ainda mais se a especialização for mais acadêmica, mais teórica”, pontua. Por outro lado, pondera, “se a formação for muito voltada para o mercado, consequentemente, ficará à mercê do que o mercado quer”.

Este será um dos principais temas abordados no bate-papo, que também tratará sobre os desafios dos meios digitais para a formação e, ainda, sobre a oferta de cursos na modalidade de Ensino a Distância (EAD).

 

Sobre Marta Peixoto

Graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS (1985), Marta Peixoto fez mestrado (1994) e doutorado (2006) em Teoria História e Crítica no PROPAR-UFRGS, com bolsa sanduíche na ETSAB, a Escola Tècnica Superior d’Arquitectura de Barcelona. Foi professora titular do Centro Universitário Ritter dos Reis, sendo coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo, na graduação e na pós-graduação lato sensu  em Arquitetura de Interiores, além do Programa de Mestrado UniRitter-Mackenzie.

Atualmente, é professora associada do departamento de Arquitetura da UFRGS, coordenadora do Programa de pós-graduação em Arquitetura da UFRGS, PROPAR, e pesquisadora nível 2 do CNPq. É membro da diretoria da ANPARQ (associação nacional de pesquisa e pós-graduação em arquitetura) e membro do DOCOMOMO Internacional, (Comitê Internacional para Documentação e Conservação de Edifícios, Locais e Bairros do Movimento Moderno), no qual integra o comitê de Interior design. Manteve atividade profissional desde 1985 e em escritório focado em Arquitetura de Interiores – Marta Peixoto Arquitetura – de 1995 a 2017, quando passou a ser professora com regime de dedicação exclusiva na UFRGS. Na pesquisa, investiga os seguintes temas: interiores residenciais, interiores modernos e patrimônio moderno.

 

error: Para compartilhar esse conteúdo, use o link ou as ferramentas de compartilhamento do site da revista ÁREA e contribua para a valorização do jornalismo especializado.
X
X